Estuário do Sado, sábado dia 9, a Ocean Alive realizou a 2a campanha de sensibilização aos mariscadores do lingueirão para acabar com o mau hábito de ALGUNS mariscadores em deixar as embalagens vazias de sal.

Esta acção enquadra-se na iniciativa “Guardiãs do mar: salvar o ambiente, preservar empregos”.

A campanha foi realizada hoje PORQUE é uma das maiores marés do ano (a maré alta é de 3.86m e a maré baixa é de 0.17m) e por isso retira mais lixo da praia para o mar e também porque é uma maré que atrai mais mariscadores do que é comum.

36 voluntários: famílias, estudantes, profissionais,1 turma de estudantes de aquacultura da escola Lima de Freitas de Setúbal, membros do ICNF.

35 mariscadores abordados. 30 mariscadores lúdicos e 5 profissionais da península de Setúbal.

800 kg de lixo retirados das praias (garrafas de vidro e plástico, embalagens de plástico, latas, sacos de plástico com lixo, roupas e sapatos velhos, papeis, caixas de engodo para a pesca e caixas de esferovite da pesca…)

2 praias limpas na margem Norte do Estuário do Sado (praias da Gazlimpo e praia das Pirites)

1630 embalagens de sal fino recolhidas, directamente dos mariscadores e sobretudo na limpeza das praias.

2 supermercados de Setúbal aderiram à campanha: Jumbo e Pingo Doce, que colocaram a mensagem da campanha dirigida aos mariscadores, junto das prateleiras de sal: não deixe as embalagens no mar, traga as embalagens para reciclar

A Ocean Alive irá reunir as embalagens de sal vazias recolhidas ao longo das campanhas e expô-las em “praça pública” para mostrar o volume de lixo que este mau hábito deixa no mar e assim sensibilizar a população para este problema local. Noutras zonas do país o lingueirão também é apanhado desta forma mas não tem este impacto.

Histórias e TESTEMUNHOS

Entre os voluntários encontrava-se uma turma de estudantes de aquacultura do ensino profissional da Escola Lima de Freitas. Nas notas de um aluno lia-se:

“quando chegámos ao local o lixo era por todo o lado (plásticos, vidros, papeis…). Os sacos de lixo eram cheios em dois ou três minutos. Impressionante a quantidade de lixo que apanhámos, que se não fizéssemos nada iria ser arrastada pela grande maré de hoje para o mar.”

Entre os mariscadores encontrava-se o Pai e o filho Guilhermes, o filho de 12 anos.
O pai tinha encontrado uma espécie rara de molusco, o ferro-de-engomar, que é um búzio que captura as suas presas com veneno. Ao ver este animal, a Rosa Ferreira, mulher pescadora colaboradora da Ocean Alive, explicou que há muito poucos destes búzios e por isso o animal foi devolvido ao mar.

Um dos itens mais famosos nas limpezas das áreas envolventes aos locais da mariscagem são sapatos e botas velhas que usam para caminhar na vasa. Os mariscadores desfazem-se delas antes de partir para casa. O pai Guilherme entregou as suas botas à equipa de voluntários da Ocean Alive que as juntou ao lixo que foi depois retirado pela CM de Setúbal.

O jovem Guilherme que tem um Magalhães quer ser biólogo marinho. E foi logo convidado para fazer parte da equipa de voluntários na próxima campanha da Ocean Alive, em Maio, em Tróia.

No final da campanha a Ocean Alive ofereceu aos voluntários uma aula sobre conchas marinhas. No grupo haviam crianças e famílias que aprenderam que o lingueirão quando perturbado pela hipersalinidade do sal dos mariscadores, é como a sardanisca: liberta o “olho”, uma parte do corpo, para distrair os predadores, enquanto ele com o seu pé foge pela sua galeria na vasa.

INFORMAÇÕES SOBRE A CAMPANHA

OBJECTIVO
Campanha de sensibilização aos mariscadores do iingueirão – tem como objectivo eliminar as embalagens de plástico de sal usadas na apanha do lingueirão, como fonte de lixo marinho, para que estas não sejam incorporadas no ecossistema marinho. Esta campanha tem a duração de um ano e consiste em acções de sensibilização pontuais e no desenvolvimento de uma rede de pessoas da comunidade piscatória influenciadora dos mariscadores.

COMO É QUE ESTE PROBLEMA SURGE?

O lingueirão vive enterrado na vasa do estuário. A sua apanha decorre durante a maré baixa ao longo de todo o ano, por mariscadores credenciados. Para capturar este bivalve, o mariscador deita sal fino no buraco do animal. Este sai e assim é facilmente capturado. Uma parte dos mariscadores do lingueirão deixa as embalagens de plástico de sal vazias na beira-mar. Estimamos que cada mariscador utilize cerca de 10 embalagens por maré. O grande pico anual de afluência de mariscadores, é na sexta- feira santa, quando por tradição, centenas de mariscadores oportunistas vêm ao estuário do Sado apanhar lingueirão. Para alem deste dia, as grandes marés do ano (na primavera e no Outono) e os feriados nacionais com boas marés, são os momentos do ano com maior afluência de mariscadores. Todos os anos, só nestes dias, são deixados no mar centenas de embalagens de plástico de sal vazias.

O QUE ACONTECE ÀS EMBALAGENS DE PLÁSTICO DE SAL DEIXADAS NA MARÈ?

80% do lixo que está no Oceano é Plástico. As embalagens de plástico de sal terão um longo de um processo de degradação que dura entre dezenas a cerca de 400-500 anos. Primeiro, as partículas de médias dimensões das embalagens poderão ferir, asfixiar, causar úlceras ou a morte de animais marinhos, por exemplo as aves marinhas que confundem o plástico das embalagens que bóia, com peixes de que se alimentam. Depois, ao se tornarem partículas mais pequenas (microplásticos), os seus compostos químicos aumentarão a sua toxicidade porque aglutinam compostos organoclorados (como os PCBs), com efeitos nefastos no sistema imunitário (causa de cancro) e na reprodução animal. Os microspásticos destas embalagens seráo incorporados ao longo da cadeia alimentar acabando em nós, através dos peixes e mariscos que comemos e nos golfinhos do Sado. Por outro lado, parte das embalagens vem dar às praias de Setúbal, Tróia e Arrábida, constituindo também um risco para a saúde pública, por exemplo causando ferimentos para quem caminha descalço na areia.

QUAL É A RESPOSTA DA OCEAN ALIVE PARA ELIMINAR ESTA FONTE DE LIXO MARINHO?

A resposta da Ocean Alive a este problema é a realização de campanhas de sensibilização regulares e a intervenção de uma rede de pescadoras e mariscadores influentes e instituições que abracem esta causa de mudança deste comportamento. As campanhas de sensibilização têm como publico alvo principal os mariscadores oportunistas, enquanto que a rede influente tem como foco os cerca de 130 mariscadores que estão licenciados para a apanha de lingueirão no estuário do Sado.

A campanha realizada na sexta-feira santa passada constituiu o arranque deste desafio. No entanto, a transformação de comportamentos necessária, só será conseguida ao longo do tempo. Por exemplo uma das metas da campanha de dia 9 é conseguir mais supermercados e mercearias apoiantes desta causa.

O SUCESSO DA CAMPANHA na SEXTA FEIRA SANTA.

30 voluntários, 300 mariscadores a mariscar na zona da Eurominas no estuário do Sado. Foram recolhidas 1500 embalagens de sal fino vazias que já foram entregues à Extruplas para reciclar em mobiliário urbano (mesas, cadeiras, bancos e floreiras). Foi feita a limpeza da zona circundante à beira-mar (estuário) e na zona do estacionamento, tendo sido retirados nessa manha (das 8 às 14h) 900kg de lixo! Quando a maré encheu o estuário não tinha embalagens a boiar, ao contrario do que era tradição, a maré encher com centenas de embalagens a boiar.

EM QUE CONSISTIU A CAMPANHA de Sábado dia 9 de Abril?

A campanha é baseada na interação directa dos voluntários com os mariscadores e na recolha e reciclagem de embalagens. Nomeadamente, iremos sensibilizar os mariscadores para não deixarem na vasa as embalagens vazias. Como sugestão para o seu transporte, será entregue um saco reutilizável da Seaside. Serão recolhidas as embalagens que estão na beira-mar e na zona envolvente e guardadas em sacos grandes para facilitar o seu transporte. Os sacos serão retirados do local pela C.M. de Setúbal e as embalagens serão recicladas em mobiliário urbano pela empresa Extruplas. O Jumbo e o Pingo Doce de Setúbal apoiam esta campanha colocando nas prateleiras de sal fino informação dirigida aos mariscadores (não deixe as embalagens no mar, traga as embalagens vazias para a reciclagem).

PORQUE É QUE OS MEDIA PODEM ALAVANCAR ESTA MUDANÇA

Constatámos na primeira campanha de sensibilização, realizada a 25 de Março, que os mariscadores oportunistas não são na sua maioria de Setúbal e arredores mas sim de qualquer parte da península de Setúbal (Sesimbra, Almada, Pinhal Novo, Pegões, Faias,…). Para passar a palavra às muitas centenas de mariscadores oportunistas, isto é, qualquer pessoa com a iniciativa ou hábito de mariscar, e que só vem uma ou um punhado de vezes por ano mariscar, necessitamos do apoio dos media locais mas tb dos media com maior distribuição. A nossa presença no local inspirará sobretudo aqueles com quem temos contacto directo. Nós inspiramos a protecção do ambiente marinho, vocês jornalistas, são embaixadores desta campanha de mudança!

OFERTA DE SESSÃO SOBRE CONCHAS MARINHAS

Como é a vida do lingueirão, quantos anos vive?

A praia “Gazlimpo” é um tesouro em conchas marinhas: vieiras, pentes, búzios,ameijos e bergigões de todos os feitios… A Ocean Alive é uma organização de educação marinha que realiza actividades para escolas e para o público em geral. Após a campanha, pelo hora do piquenique de almoço, foi oferecida aos voluntários uma sessão sobre a identificação e histórias da vida das conchas encontradas à beira-mar. Com este programa esperamos atrair e sensibilizar as famílias para a causa da proteção do Oceano.

ÂMBITO DA CAMPANHA

A Ocean Alive (www.ocean-alive.org), responsável pela campanha, é uma organização sem fins lucrativos para a educação marinha cujo programa de actividades tem o apoio institucional da Unesco.

Esta acção enquadra-se na missão da Ocean Alive: transformar comportamentos para a protecção do Oceano, nomeadamente das pradarias marinhas do estuário, através da educação marinha e do envolvimento das comunidades costeiras locais.

Nomeadamente, esta acção enquadra-se na iniciativa “Guardiãs do mar: salvar o ambiente, preservar empregos”. Esta é uma ideia candidata ao prémio Ideias de Origem Portuguesa 2016 cuja equipa é formada por duas fundadoras da Ocean Alive, uma bióloga marinha e uma gestora e duas mulheres pescadoras do estuário do Sado. Para mais informações sobre esta ideia (http://2016.ideiasdeorigemportuguesa.org/ideias/41)

ENTIDADES APOIANTES
ICNF- Instituto da Conservação da Natureza – apoio logístico e operacional
CM Setúbal – apoio logístico: recolha dos sacos com as embalagens vazias SEASIDE – apoio logístico: cedência de sacos reutilizáveis para entregar aos mariscadores
Extruplas – apoio logístico: reutilização das embalagens
Juntas de freguesias locais: apoio na divulgação da campanha
Iniciativa Amar Setúbal : apoio na divulgação da campanha, limpeza de praia e angariação de voluntários
JUMBO de Setúbal e Pingo Doce – divulgação da campanha junto das prateleiras de venda do sal

Vídeos com informação sobre plástico no meio marinho

https://www.youtube.com/watch?list=PLsABWvx6Nevl5Kq5qf7tQo- 5NelqTToa6&v=0g_lpmcOyWk

Vídeo (e posts) sobre a campanha

https://www.facebook.com/ocean.alive.org

Partilhe esta notícia