Os trabalhadores da Soflusa no plenário/paralisação, ontem realizado, (durante o qual toda a actividade da empresa parou, apesar das pressões da administração para colocar navios a navegar) decidiram realizar greves nos dias 7 e 8 de Setembro, de 3 horas por turno, em defesa do cumprimento integral do Acordo de Empresa, pela negociação colectiva e contra a onda repressiva traduzida em cerca de 90 processos disciplinares.

Já anteriormente, os trabalhadores da Transtejo tinham decidido idêntica luta, greve de 3 horas por turno, para os mesmos dias.

Esta é a resposta às medidas prepotentes e arbitrárias da actual administração destas duas empresas, que recusa negociar as condições de trabalho e procede a aumentos de salários de quadros superiores em valores que atingiram 2 500 euros por mês.

Esta administração, executantes da política do governo, está a proceder à destruição da organização e funcionamento das 4 empresas – Carris, Metro, Transtejo e Soflusa, para gerar a extinção de centenas de postos de trabalho e embaratecer a operação se subconcessão/privatização em curso.

 

 

Partilhe esta notícia