Estamos a entrar na recta final do campeonato e este fim-de-semana assistimos a uma jornada onde os dois principais candidatos ao título parece que não querem ser campeões. Não existem bem explicações para o que se passou quer em Vila do Conde, quer no Funchal.

O Benfica sai derrotado de Vila do Conde num jogo que até entrou a ganhar cedo graças a um golo de Salvio e até fez uma primeira parte onde foi controlando as operações. O Rio Ave viu-se obrigado a fazer duas substituições na primeira parte devido às lesões de Marcelo e Hassan e isso obrigaria a equipa de Vila do Conde a uma dose de esforço físico redobrada, tal não se veio a verificar. Inexplicavelmente, o Benfica, que tem rubricado excelentes exibições no seu estádio, decidiu não comparecer na segunda parte e fez uma exibição paupérrima tal como já tinha acontecido em Braga e em Paços de Ferreira. A equipa nunca soube pegar no jogo e só começou a correr quando Ukra fez de penalti o empate após mão de Samaris. Ola John, muitas vezes criticado, ofereceu meio golo a Lima que em vez de colocar o Benfica novamente na frente falhou de forma incrível de baliza aberta. Quando o empate parecia ser o resultado final, o Benfica marca um lançamento de linha lateral de forma infantil e o Rio Ave faz o golo da vitória no último instante do jogo, Del Valle foi o herói para os vila-condenses. O Benfica tem até ao fim do campeonato cinco jogos em casa e três fora e Jorge Jesus tem de refletir a aproveitar a pausa que vai haver agora no campeonato o porquê de exibições tão inconstantes fora do estádio da Luz.

O F.C. Porto tinha a oportunidade de ficar a somente um ponto caso vencesse o Nacional da Madeira mas tudo o que conseguiu foi apenas um empate. Num campo tradicionalmente difícil para os Dragões, foram muitos os remates à baliza das duas equipas com o F.C. Porto a rematar mais na primeira parte e a mostrar que queria ganhar o jogo. Com naturalidade, Tello fez o primeiro para os Dragões com mais um grande golo do jogador Espanhol. O mais difícil estava feito e a equipa parecia embalar para a vitória. Na entrada para a segunda parte, Maicon ainda acertou com estrondo no posto e parecia que o F.C. Porto continuaria a dominar o jugos mas entretanto o Nacional começou a responder e a atrever-se mais no ataque. Helton ainda evitou o primeiro aos 56 minutos mas ao 62 nada poderia fazer perante o jogador do Nacional Walter que apareceu solto ao segundo poste. O F.C. Porto teve duas oportunidades de seguida com Danilo a atirar ao poste e Aboubakar a obrigar Gottardi a uma grande defesa. O Nacional poderia ficado também em vantagem mas Lucas João falhou escandalosamente de baliza aberta. O F.C. Porto fica assim a 3 pontos do Benfica e não aproveitou a oportunidade de ficar mais perto. Passa a depender de si próprio mas é uma dependência que obriga a equipa de Lopetegui a ficar em vantagem no confronto direto com o rival Benfica.

Quando uma destas equipas perde pontos, a outra parece que não quer aproveitar. Se o Benfica tivesse aproveitado os deslizes do F.C. Porto teria já 9 pontos de avanço e praticamente fechava a questão do título. Por seu lado, se o F.C. Porto tivesse aproveitado os deslizes do Benfica estaria à frente do campeonato com dois pontos de vantagem e assim sim teria uma situação de depender dele próprio muito mais confortável. Daí o título da crónica, as equipas parecem estar a fazer de tudo para não ganharem o campeonato e ao não aproveitarem totalmente os deslizes de ambos nota-se que falta ali estofo de campeão nos dois conjuntos.

Para a semana não há campeonato mas esperamos como Portugueses que a Seleção ganhe o seu jogo contra a Sérvia e dê um grande passo rumo à qualificação para o Euro 2016.

 

Ricardo Santos

Marketeer

Partilhe esta notícia