A Toca do Lobo, de Catarina Mourão, estreia dia 3 de Novembro nas salas portuguesas, em Setúbal (Charlot), Lisboa (Cinema City Alvalade, Cinema Ideal), Leiria (Cinema City) e Porto (Medeia Teatro Municipal Campo Alegre).

O documentário – vencedor do Prémio do Público para Longa Metragem no IndieLisboa 2015 e Melhor Documentário Português no festival Filmes do Homem 2016 – é um flme dedicado ao avô materno da realizadora, o escritor Tomaz de Figueiredo, cujo romance mais conhecido é A Toca do Lobo, publicado em 1947 e vencedor do prémio Eça de Queiroz.

Segundo a realizadora, “através do meu encontro no presente com diferentes personagens (vivas e mortas), locais (de hoje em dia e do passado), arquivos, e outros documentos, o flme revela factos, memórias e sonhos e, neste processo, dá uma ideia de como as famílias enfrentaram estes 48 de ditadura em Portugal. Tento estabelecer a cronologia dos acontecimentos da família e ligá-los a um contexto social e político mais vasto, para tentar compreender como é que uma família lidava com os seus segredos e contradições durante a ditadura e como é que eu própria, nascida depois da Revolução, poderei levantar o nevoeiro e tornar o que era invisível, visível. Este flme é assim também um flme sobre como fazer um flme no nevoeiro, por assim dizer: O que vemos através do nevoeiro e como conseguimos passar para o lado de lá desse nevoeiro”.

O flme tem ainda vindo a ser selecionado para diversos festivais internacionais – 10 até ao momento – nomeadamente Roterdão, IndieCork, Doku.Arts Film Festival (Berlim) ou Viennale, entre outros.

Sinopse:

Todas as familias guardam segredos. A minha n–o e excepc–o. Primeiro descubro um velho flme de 9.5 mm, depois redescubro os velhos “lbuns de infa ncia da minha m–e onde as fotografas me parecem todas iluso es opticas. Mais tarde o meu avo , que nunca conheci, revela-se e fala comigo num estranho programa de televis–o. Neste viagem quero desvendar os segredos da minha familia durante a ditadura, que envolvem miste rios que foram passando de gerac–o em gerac–o. Entre passado e presente procuro reinterpretar velhas memorias e descobrir novas verdades, lutando contra o silencio e as portas que fechadas.

 

Catarina Mourão

Estudou Música, Direito e Cinema (Mestrado na Universidade de Bristol). Fundadora da Apordoc (Associação pelo Documentário). Professora de Cinema e Documentário desde 2000. Fundou com a realizadora Catarina Alves Costa a produtora independente de documentário, Laranja Azul. Em 2016 conclui o Doutoramento em Cinema, pela Universidade de Edimburgo, no Edinburgh College of Arts.

 

 

A Toca do Lobo Documentário, Ficção 2015, Portugal, 102’

Com Catarina Mourão, Maria Rosa Figueiredo Argumento: Catarina Mourão
Fotografa: João Ribeiro aip, Catarina Mourão Som: Armanda Carvalho

Montagem: Pedro Duarte
Música: Bruno Pernadas
Direcção de Produção: Maria Ribeiro Soares
Produção e Distribuição: Laranja Azul
Distribuição Internacional: Portugal Film – Portuguese Film Agency

Trailer: https://vimeo.com/136223937

Mais informações:

Helena César . helenacesar@speak.pt

Partilhe esta notícia