Abril de cada um


Somos livres de voar e de, no nosso voo, escolhermos em consciência a direção em que voamos. Sem voarmos ao sabor do vento, mas voando sempre ao sabor da nossa própria liberdade.

Abril de cada um é entender a liberdade pelos olhos do nosso próprio conceito de ser livre. É ser livre para dizer que a liberdade não tem cor, não tem voz, não tem donos. É ser livre para se ser verdadeiramente livre.

Abril de cada um é honrar a memória de todos aqueles que contribuíram para que hoje possamos ser inteiramente livres. É ser livre para dizer que a liberdade não tem cor, não tem voz, não tem donos. É ser livre para se ser verdadeiramente livre.

Abril de cada um é não nos alhearmos da opinião própria que temos, independentemente do sítio onde nos encontramos. É ser livre para dizer que a liberdade não tem cor, não tem voz, não tem donos. É ser livre para se ser verdadeiramente livre.

Abril de cada um é olhar para o futuro e lutar para que, nesse mesmo futuro, as novas gerações continuem livres e sem amarras. É ser livre para dizer que a liberdade não tem cor, não tem voz, não tem donos. É ser livre para se ser verdadeiramente livre.

Abril de cada um é saber que a democracia palpita no coração de cada um de nós e que somos nós, jovens, quem mais tem de defender o direito a ir contra aquilo em que não nos revemos. É ser livre para dizer que a liberdade não tem cor, não tem voz, não tem donos. É ser livre para se ser verdadeiramente livre.

Abril de cada um é escolhermos nós o nosso presente e futuro, sem que tenhamos alguém a olhar-nos de cima para baixo e a limitar-nos os sonhos. É ser livre para dizer que a liberdade não tem cor, não tem voz, não tem donos. É ser livre para se ser verdadeiramente livre.

Abril de cada um é usarmos a nossa cor e a nossa voz para defendermos a liberdade de termos cores e vozes distintas daquelas que nos querem impingir. É ser livre para dizer que a liberdade não tem cor, não tem voz, não tem donos. É ser livre para se ser verdadeiramente livre.

Abril de cada um é o sonho de cada um. É poder sonhar sem amarras nem correntes e almejar sempre mais para nós próprios e para todos os que nos rodeiam. É ser livre para dizer que a liberdade não tem cor, não tem voz, não tem donos. É ser livre para se ser verdadeiramente livre.

Eu, jovem social democrata confesso, amo o Abril de cada um. Amo o Abril de todos nós. Amo tudo aquilo que abril nos trouxe. Porque para mim Abril é ser livre para dizer que a liberdade não tem cor, não tem voz, não tem donos. Abril é ser livre para se ser verdadeiramente livre.

E se a liberdade não tem cor, não tem voz e não tem donos, então Abril também é de todos os jovens que, como eu, ousam pensar, sentir e celebrar abril longe dos filtros vermelhos e gritos de guerra que nos tentam forçar deste lado do rio.

Porque, para mim, Abril não tem cor, não tem voz, não tem donos e é ser livre para se ser verdadeiramente livre.

Tiago Sousa Santos

Vice-Presidente da Distrital de Setúbal e Presidente da JSD Barreiro

Partilhe esta notícia