Um grupo de alunos da UTIB – Universidade da Terceira Idade do Barreiro, de uma classe do programa ’Mexe com a Idade’ e um grupo de jovens do Centro de Inclusão Comunitária da RUMO uniram esforços e, durante a manhã de 3 de março, abraçaram uma tarefa comum. Num espaço delimitado, designado por ‘talhão’, estes voluntários combateram o chorão-da-praia, na Reserva Natural Local do Concelho.

Este grupo de voluntários foi recebido e enquadrado na ação pelos técnicos do CEA – Centro de Educação Ambiental da Câmara Municipal do Barreiro. Às explicações sobre a fauna e a flora existentes, seguiram-se referências às ameaças provocadas pelas espécies exóticas (não originárias do nosso País ou região), em concreto pelas exóticas que são também invasoras.

Desta forma, os participantes ficaram a saber que na Mata Nacional da Machada existe uma forte presença de várias espécies de acácias, bem como de chorão-da-praia, que se estende também ao Sapal do Coina, ameaçando o equilíbrio destes habitats. Feita a sensibilização, foi tempo de avançar para o terreno e deitar mãos à obra. No essencial, este é o objetivo do LIFE Biodiscoveries, ou seja, através de grupos de voluntários, controlar as espécies invasoras de forma eficaz nos dois espaços que constituem a Reserva Natural Local do Sapal do rio Coina e Mata Nacional da Machada.

A iniciativa terminou com um almoço confecionado pela Escola Técnica da Moita.

Refira-se que, financiado pelo programa LIFE+, o Biodiscoveries é um projeto a cinco anos que está a ser desenvolvido pela Câmara Municipal do Barreiro, através do Centro de Educação Ambiental e tem um custo estimado de um milhão e trezentos mil euros, comparticipados em 50% pela União Europeia.

 

Fonte – CMB

Partilhe esta notícia