Alcídio Torres apresentou “Jaula de Ferro” no Montijo

Na passada 5ª feira, na Escola Profissional do Montijo, Alcídio Torres apresentou o seu novo livro: “Jaula de Ferro – A prisão económica da maioria”.

Na mesa da apresentação do livro além do autor estava, Maria Amelia Antunes (ex Presidente da Câmara do Montijo) na qualidade da 1ª leitora do livro e Vitor Folgado, Inspetor das Finanças, que apresentou a obra.

O autor falou sobre as crises económicas, distinguindo as cises cíclicas das sistémicas, projecta as consequências dessas crises para a vida de milhões de pessoas e analisa a sua  origem.

Este trabalho é uma compilação única em Portugal das dívidas públicas desde 1867 (Monarquia Constitucional) até ao ano de 2018, além de percorrer os meandros da última crise em Portugal e os efeitos que as políticas austeritária tiveram sobre os portugueses.

Alcídio Torres em declarações ao DistritOnline disse :  “ As elites políticas tomam o poder político, em nome, e ao serviço de interesses de classe bem determinados e, por isso, põem as políticas orçamentais, monetárias e cambiais às ordens das corporações e do capital financeiro. Foi o que aconteceu na crise de 2007/2008.

A austeridade passou a ser uma crença, um fundamentalismo, como tantos outros. Uns fundamentalistas atacam e matam as pessoas em pleno espaço público, atirando, à queima-roupa, sobre cidadãos indiscriminados, ou preparando atentados terroristas de toda a espécie. Há, porém, o fundamentalismo alicerçado na ordem e na lei, apoiado por uma máquina burocrática, e por governos que justificam a fome, a miséria e a morte em nome das contas certas, em nome do rigor orçamental. Uns matam à queima roupa, outros vão matando “delicadamente”, em nome do interesse nacional. Há, ainda, o fundamentalismo das grandes corporações económicas e financeiras, que empobrecem e matam silenciosamente milhões de pessoas, na forca do desemprego e dos baixos salários.”

Partilhe esta notícia