O grupo de 25 jovens macaenses finalistas do ensino secundário luso-chinês, que se encontram no Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), desde o passado dia 17 de julho, a frequentar um curso de Língua e Cultura Portuguesa, entrou na reta final da sua experiência de contacto com o universo luso.

 

Começa hoje, segunda-feira, a terceira e última semana desta estada, que se enquadra numa parceria estabelecida com o IPS, com o apoio da Direção de Serviços de Educação e Juventude (DSEJ) do Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), e que visa manter vivos os laços que unem Portugal a este território chinês, 18 anos após o fim da administração portuguesa.

 

Depois de um fim de semana intenso de visitas de estudo a alguns pontos de interesse obrigatórios em Lisboa, Estoril, Cascais e Sintra, o grupo regressa à sua “casa” temporária em território português para uma derradeira semana de aulas e ainda a tempo de percorrer a Rota dos Três Castelos, passando por Sesimbra, Palmela e pelo Forte de São Filipe, na serra da Arrábida (Setúbal).

 

Recorde-se que, para além da componente letiva, 54 horas em sala de aula, o programa de curso tem vindo a contemplar igualmente 66 horas de atividades paralelas. A título de exemplo, no último fim de semana (dias 29 e 30 de julho), os 25 alunos macaenses, juntamente com os restantes 20 colegas que estão a ser acolhidos pelo Instituto Politécnico de Tomar, tiveram oportunidade de conhecer as instalações e o Museu RTP, o Oceanário de Lisboa, o Centro Científico e Cultural de Macau, o Museu da Carris, o Mosteiro dos Jerónimos, a Torre de Belém, o Padrão dos Descobrimentos, o Centro Cultural de Belém, o Museu da Eletricidade, o Cabo da Roca, o Museu do Ar, Seteais e ainda o Palácio da Vila de Sintra.

 

Trata-se da quarta edição desta iniciativa, que vem envolvendo diversas instituições de ensino superior politécnico, permitindo uma maior familiaridade entre a juventude de Macau e as antigas referências culturais portuguesas.

Partilhe esta notícia