facebook youtube twitter

A Ambiente

Observação de Aves – parte4

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Continuando o assunto dos meses anteriores, falemos de onde encontrar as aves na natureza. Dependerá sempre dos objectivos de cada um. Agora utilizarei o distrito de Setúbal e áreas circundantes como exemplo.

Jardins e parques urbanos – este tipo de animais são também cosmopolitas, e grande parte são residentes, ou seja ficam cá o ano todo. São fáceis de ver e ouvir e não se costumam importar com a nossa presença, beneficiando muitas vezes de tal. Exemplos concretos: melro, pardal, chamariz, chapim-real, mainá-de-crista, estorninho-preto, pisco-de-peito-ruivo, rola-turca e o gaio, encontrados na Quinta da Fidalga (Seixal), Quinta da Marialva (Corroios), Parque do Alambre (Arrábida), entre outros. Se houver lagoas ou riachos nestes parques adicionam-se a galinha-de-água, garça-branca-pequena, pato-real e gaivotas várias como no Parque da Paz (Almada) e no Parque da Cidade (Barreiro).

Zonas húmidas – referido em edições anteriores, aves aquáticas e não só são atraídas para estes locais como Lagoa de Albufeira, e ao longo do Estuário do Tejo e Sado. Exemplos concretos: garça-real, corvo-marinho, guincho, maçarico-das-rochas, garajau-comum, pernilongo, alfaiate e borrelhos.

Campo aberto – outras aves encontram alimento em descampados, quer sejam ratos ou coelhos, ou plantas e sementes. Por exemplo na zona das Lezírias vêm-se peneireiro-comum, peneireiro-cinzento, águia-de-asa-redonda, trigueirão, sisão, pintassilgo, codorniz, ganso-bravo e coruja-das-torres.

Matos e florestas – sítios com maior cobertura de árvores são ideais como refúgio para muitas aves adaptadas ao meio, pequenas e grandes, desde o pica-pau-grande-malhado, gralha-preta, pombo-torcaz, pega-azul, tentilhão, coruja-do-mato, trepadeira-azul e carriça. Serra da Arrábida, Serra de Sintra e Mata da Machada (Barreiro) são boas escolhas.

Para além dos locais referidos o Cabo Espichel e o Cabo Raso são óptimos para ver a passagem de aves marinhas como a cagarra, galheta, moleiro e ganso-patola.

Fique atento à quinta e última parte que sairá no próximo mês, onde se falará de algumas dicas úteis para a observação de aves.

Saudações Ambientais

Mauro Hilário

Vice-Presidente do Grupo Flamingo

www.grupoflamingo.org

gaivota 1

Email:

geral@distritonline.pt / publicidade@distritonline.pt

Telefone:

916 797 042

Google Bottom