“Comboio no Cinema” é uma Mostra de Cinema, organizada pelo projeto Espaço L, que decorre no Barreiro e tem como objetivo divulgar filmografias que, de algum modo, consigam sensibilizar a população sobre a realidade ferroviária que faz parte da história e da memória do povo do Barreiro, nos seus diferentes aspetos da cultura material e imaterial.

A segunda sessão – dedicada à linha do Tua – ocorrerá no próximo dia 8 de novembro, pelas 15h30 no Espaço L (Antiga Estação do Lavradio). No final haverá um convívio com castanhas e água-pé.

A organização explica que a Mostra “visa ainda promover e estimular a transmissão do património cultural e da memória social às gerações futuras”, e por isso “interessa valorizar e preservar para o futuro, o legado da cultura ferroviária, como um dos pilares fundamentais da identidade cultural dos barreirenses”.

O primeiro filme “Linha do Tua entre Abreiro e Carvalhais”, de Rui Ribeiro, baseado em recolha de imagens feitas pelo autor numa viagem pelo Tua, numa altura em que já se preparava o encerramento deste troço, abre a segunda sessão da mostra.

Seguidamente será exibido o filme “Para, Escute, Olhe” que retrata uma região transmontana despovoada, vítima de promessas políticas não cumpridas. Na linha ferroviária do Tua, o comboio viaja para uma morte iminente.

“Pare, Escute, Olhe” (Jorge Pelicano) é, segundo a organização, “uma viagem por um Portugal profundo e esquecido, conduzida pela voz soberana de um povo inconformado, maior vítima de promessas incumpridas dos que juraram defender a terra. Esses partiram com o comboio, impunes. O povo ficou, isolado, no único distrito do país sem um único quilómetro de autoestrada. Em nome do progresso, a construção da barragem de Foz-Tua, ameaça submergir um património único que faz parte da identidade Transmontana”.

O filme realizado por Jorge Pelicano, venceu seis prémios nacionais, incluindo Melhor Documentário Português no DocLisboa 2009 e o Grande Prémio do Ambiente no CineEco 2009 em Seia.

Partilhe esta notícia