O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, afirmou hoje, em Setúbal, que concorda “em absoluto” com o programa “Arrábida sem Carros”, criado pela Câmara Municipal para regular os acessos às praias da Serra da Arrábida.

 

A autarquia sadina implementou este verão o programa “Arrábida sem Carros” para debelar o problema crónico de congestionamento do trânsito e parqueamento nas estradas de acesso às praias arrabidinas, fenómeno que, entre outros constrangimentos, colocava em risco a segurança e qualidade do serviço de socorro aos banhistas.

 

O programa municipal contempla o corte do trânsito de viaturas particulares num troço de cerca de três quilómetros da estrada nacional 379 entre a Figueirinha e o Creiro, garantindo-se a passagem de transportes públicos, viaturas de socorro e de duas rodas.

 

A Câmara Municipal, através de decisões concertadas com outras entidades, apostou no reforço dos transportes públicos para as praias, tanto a partir de Setúbal, como de Azeitão, além de regular, igualmente, o parqueamento disponível na Praia da Figueirinha, zona balnear de Bandeira Azul e que representa o ponto a partir do qual não se pode prosseguir de viatura particular, na estrada paralela à costa, em direção aos restantes areais existente até à Praia do Creiro.

 

“Conheço a ideia e a intenção e parece-me, inevitavelmente, a mais feliz”, frisou, esta manhã, durante uma visita a Setúbal, o ministro do Ambiente sobre o conjunto de medidas implementadas pela autarquia.

 

João Matos Fernandes salientou a necessidade de se proteger áreas territoriais como o Parque Natural da Arrábida “por uma dupla perspetiva, primeiro, garantindo a preservação dos valores naturais e, segundo, a segurança e usufruto de quem vai a esses locais”.

 

O ministro do Ambiente garante que “é mesmo preciso definir regras para reduzir a massa de pessoas que vai a esses locais, pensando na integridade desses espaços, do ponto de vista da biodiversidade, e pensando, também, no conforto de quem aí se desloca”.

 

O governante frisou, ainda, que “ninguém gosta de ser engando e de ser introduzido numa ‘sala’ que tem gente a mais”.

 

João Matos Fernandes acrescentou, igualmente, que as praias e as respetivas estradas de acesso estão sob gestão da Câmara Municipal de Setúbal, sendo que, apesar do “Arrábida sem Carros” ser liderado e conduzido pela autarquia, todo o processo “foi, naturalmente, acompanhado pelo ICNF [Instituto da Conservação da Natureza das Florestas] e com o qual o Ministério do Ambiente concorda em absoluto”.

 

 

 

Partilhe esta notícia