No próximo domingo, dia 25 de junho, tem lugar às 15 horas, no cais do Seixal,  a assinatura de um protocolo entre o Município do Seixal e o Município do Barreiro que permitirá ligar os dois concelhos através de uma ponte pedonal e clicável. O Município do Barreiro chegará ao Seixal a bordo de uma embarcação tradicional, fazendo o transbordo para o varino Amoroso, também uma embarcação tradicional da Câmara Municipal do Seixal, a bordo da qual será assinado o documento.

 

Depois de quase 50 anos, os dois concelhos veem mais perto a possibilidade de voltar a estar ligados, o que permite uma aproximação entre as duas zonas ribeirinhas. O investimento será na ordem dos 4 milhões de euros, repartidos pelas duas autarquias, que submeteram candidaturas a fundos europeus, para financiamento a 50%, inseridas no Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Área Metropolitana de Lisboa. Prevê-se que a concretização da obra aconteça em 2018.

 

A ligação entre margens tem o total de 800 metros, sendo que a ponte terá cerca de 350 metros. Esta ponte permitirá o atravessamento entre o Seixal e o Barreiro sobre o esteiro do rio Coina e irá aproveitar o espaço canal de uma antiga ponte ferroviária que fez, em anos longínquos, a ligação entre os dois concelhos. O tráfego foi suspenso em 1969, após uma colisão de um navio, que provocou danos na estrutura, que não voltou a ser recuperada.

 

A ligação será entre o terminal ferroviário do Barreiro e o núcleo urbano antigo do Seixal e passará junto ao Centro de Estágios do Benfica.
Esta nova infraestrutura integra a Rede Ciclável do Município do Seixal e vem assim juntar-se à faixa ciclável que liga as zonas ribeirinhas do Seixal, Arrentela e Amora.  Os dois concelhos estão a cerca de 800 metros de distância em linha reta, contudo, sem esta ponte, essa distância aumenta para 16 quilómetros.

 

Importa ainda referir que a construção desta ponte permitirá também o crescimento do turismo, pois assim poderá circular-se mais facilmente entre os dois municípios e usufruir das suas zonas ribeirinhas, e que esta integra também a estratégia do PEDEPES, que vai ao encontro das políticas estratégicas em desenvolvimento do Município do Seixal e apresenta uma visão dinâmica e inovadora da península de Setúbal.

Partilhe esta notícia