A Associação de Agricultores do Distrito de Setúbal (AADS), em comunicado enviado ao Distritonline, exige “com caráter urgente a intervenção do Governo/Estado na Herdade da Comporta”, propriedade do Grupo Espírito Santo, com o objetivo de garantir os diretos dos Agricultores, dos habitantes das freguesias da Comporta e do Carvalhal e dos prestadores de serviços.

Em comunicado, a ASDS acentua que há “centenas de agricultores/rendeiros que querem assegurar a continuação dos seus contratos de arrendamento” e “moradores das freguesias da Comporta e do Carvalhal, com casos ainda por resolver no que respeita à legalização de terrenos, casas e renovação do arrendamento”.

Os agricultores de Setúbal acreditam que a situação está a agravar-se, uma vez “os prestadores de serviços para a Herdade da Comporta já não passam faturas em nome da Herdade da Comporta – Atividades Agro –Silvícolas e Turísticas, Sa”.

A Associação refere ainda que, na sequência de uma reunião de agricultores realizada no Carvalhal, solicitou à Comissão de Agricultura e Pescas da Assembleia da República, no início do mês de outubro, uma audiência sobre a Herdade da Comporta, de forma a acautelar os legítimos direitos e interesses dos Agricultores/Rendeiros, contudo a audiência não foi, até à presente data, marcada.

Partilhe esta notícia