A União de Sindicatos de Setúbal, em comunicado, revela que existiam 60.214 desempregados inscritos nos Centros de Emprego do distrito de Setúbal em novembro de 2014, o que representa uma diminuição de 0,19 décimas em relação ao mês anterior.

De acordo com a USS/CGTP-IN , no mês de novembro “o desemprego feminino representava 53,1% do desemprego, sendo de 20,7 a percentagem dos desempregados com idade superior a 55 anos e de 45,3 a percentagem dos desempregados de longa duração” e os jovens, até aos 25 anos de idade, “representavam 10,9 por cento do desemprego e os desempregados com formação académica superior representavam 12,0%”.

“Em relação ao mês anterior verificou-se um aumento da percentagem do desemprego dos desempregados de longa duração”, sublinham.

Para a Comissão Executiva, “o número de desempregados inscritos nos Centros de Emprego do Distrito mantém-se em níveis extremamente elevados e com variações na ordem das décimas, o que mostra a total ausência de medidas de combate ao desemprego e de criação de emprego”.

No mesmo comunicado, reiteram que “não será o aumento dos “estágios profissionais” ou dos programas de “emprego-inserção” que irá resolver o problema do desemprego”.

“Poderão mascará-lo e ser aproveitado na campanha eleitoral do governo, mas a resolução do desemprego passa pela rutura com a política deste governo e pela construção de uma alternativa de esquerda e soberana que faça sair o país do caminho do desastre em que esta política o colocou”, finalizam.

Partilhe esta notícia