A Câmara Municipal do Seixal aprovou ontem, em reunião de câmara, uma tomada de posição pela construção do novo Centro de Saúde de Corroios, uma vez que o direito à saúde é um direito fundamental consagrado na Constituição da República Portuguesa. Sempre ao lado da luta das populações, a Autarquia manifestou o seu total apoio à reivindicação pela construção do novo Centro de Saúde de Corroios, pela extensão de Foros de Amora e Paio Pires bem como aos profissionais de Saúde pela sua dedicação ao Serviço Nacional de Saúde.

Apesar da Lei de Bases da Saúde estabelecer que “é objetivo fundamental obter a igualdade dos cidadãos no acesso aos cuidados de saúde, seja qual for a sua condição económica e onde quer que vivam, bem como garantir a equidade na distribuição de recursos e na utilização de serviços”, Joaquim Santos, Presidente da Autarquia referiu que “temos assistido nos últimos anos a um claro desinvestimento na área da saúde que resulta num total desrespeito pela vida e pela saúde das populações. São disso exemplo os sucessivos cortes orçamentais, o aumento das taxas moderadoras, a concentração e o encerramento de serviços, a redução de horários de funcionamento de serviços e a enorme carência de profissionais da saúde”.

O Autarca frisou ainda que “no que respeita ao concelho do Seixal, os resultados destas políticas destruidoras estão visíveis e patentes. Num concelho com cerca de 160 mil habitantes, dos quais mais de 40 000 não têm médico de família, deixou de funcionar o único SAP, agora transformado em SAC (Serviço de Atendimento Complementar) que encerra às 20h00 em dias úteis e às 17h00 aos fins-de-semana e feriados. Esta medida obriga à deslocação da população para o Hospital Garcia de Orta (HGO) que se encontra sobrelotado. Tal situação origina uma afluência inusitada ao HGO, provocando uma situação de rotura na urgência e serviços complementares deste hospital”.

Relativamente à freguesia de Corroios verifica-se que cerca de um terço dos utentes não tem médico de família, o que faz com que esta seja uma das freguesias com maior percentagem de cidadãos sem médico de família a nível nacional. O atual Centro de Saúde de Corroios encontra-se a funcionar num edifício de habitação adaptado para o efeito com quatro andares, sem elevador e que apesar de ter sofrido sucessivas obras de requalificação, continua sem o mínimo de condições para assegurar a acessibilidade plena dos utentes. Referir ainda a falta de condições para receber novos médicos para corresponder às necessidades da população sem médico de família.

A população, lado a lado com as comissões de utentes, há muito que lutam pela construção do novo Centro de Saúde de Corroios. Em convergência com esta luta, a Câmara Municipal do Seixal disponibilizou há vários anos o terreno para a sua edificação, em Santa Marta do Pinhal.

Em 2007 a Comissão de Utentes da Saúde de Corroios foi informada que a construção do Novo Centro de Saúde de Corroios era prioritária e que seriam contempladas verbas no PIDDAC desse ano. Em 2011 foi remetido para o Ministério da Saúde, o Plano de Funcionamento do novo Centro de Saúde de Corroios, tendo sido aprovado.

Em reunião realizada em 4 de março de 2016, a nova Presidente da ARSLVT, questionada sobre a possibilidade de construção do novo Centro de Saúde, informou da indisponibilidade de assegurar este investimento financeiro.

 

Leia aqui a tomada de posição:Tomada Posição_Novo Centro de Saude de Corroios

Partilhe esta notícia