A Câmara Municipal do Seixal aprovou hoje, em reunião de câmara, uma tomada de posição pela melhoria do serviço público de transporte prestado pela Transtejo, bem como diversas comparticipações financeiras ao movimento associativo do concelho, no valor de cerca de 820 mil euros. Foi ainda adjudicada a aquisição de um comboio elétrico solar, no âmbito do desenvolvimento do Laboratório Vivo para a Descarbonização da Baía do Seixal.

No que se refere à tomada de posição, entende a autarquia que o transporte fluvial no rio Tejo assume uma enorme e estratégica importância na mobilidade das populações da Área Metropolitana de Lisboa, estando constantemente a ser posto em causa por uma política assente na redução do número de trabalhadores e das ações de manutenção regular das frotas da Transtejo, conduzindo a vários cortes na oferta de transporte e à recorrente supressão de carreiras programadas. O presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, lembrou que “desde janeiro de 2011, a Transtejo tem vindo a suprimir as carreiras que ligam o Seixal ao Cais do Sodré, prejudicando os munícipes que utilizam diariamente este meio de transporte nas suas deslocações, forçando-os a procurar alternativas, entre as quais o transporte próprio, com todos os inconvenientes que tal acarreta. O problema agudizou-se ainda mais recentemente, tendo em conta que o transporte fluvial Seixal-Lisboa e Lisboa-Seixal é efetuado apenas por uma embarcação, resultando em cortes diários de várias ligações”.

O autarca acrescentou ainda que “esta é uma situação conhecida, debatida, identificada e repleta de promessas sem que nada tenha sido feito, apesar das várias reuniões e reivindicações das comissões de utentes e da autarquia, e de, em junho de 2017, o Ministério do Ambiente ter anunciado um investimento de 10 milhões de euros para o plano de manutenção da frota de navios da Transtejo e Soflusa, promessa que o Governo veio a reiterar em 2018”. 

No documento aprovado, a autarquia exorta o Governo a intervir de forma eficaz neste processo e a avançar para a aquisição urgente de embarcações capazes de garantir a regularidade das ligações fluviais entre o Seixal e Lisboa, sendo que até lá é fundamental que se colmate a insuficiência de barcos da Transtejo através do recurso a soluções de curto prazo que resolvam o problema. É ainda solicitado que a Câmara Municipal do Seixal possa assumir a gestão do parque de estacionamento do Terminal Fluvial do Seixal, exigindo tratamento idêntico ao adotado para o Cais do Seixalinho, no Montijo.

Durante a reunião foram ainda aprovadas várias comparticipações financeiras, no valor total de cerca de 820 mil euros, atribuídas a associações e entidades do concelho, por forma a apoiar o trabalho que as mesmas desenvolvem em prol do bem-estar das populações. Destaque para a atribuição de 339 799, 23 euros à Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idodos da Torre da Marinha, para que esta possa concluir as obras do Centro de Dia da Torre da Marinha. Destaque também para a verba atribuída ao Centro de Atividades Sociais de Miratejo, no valor de 48 560, 86 euros para apoiar o seu projeto de arquitetura da creche. No âmbito do movimento associativo, também o Amora Futebol Clube irá receber 250 000 euros, para apoiar a construção dos balneários do novo Centro de Treinos do clube.

Foi ainda adjudicada a aquisição de um comboio elétrico solar, no âmbito do desenvolvimento do projeto referente ao Laboratório Vivo para a Descarbonização da Baía do Seixal. Importa lembrar que a autarquia tem vindo a adoptar um conjunto de políticas e de estratégias de intervenção local orientadas para os princípios definidos quer pela Organização Mundial de Saúde, quer pelos princípios definidos na Carta de Aalborg, tendo a autarquia apresentado uma candidatura ao Programa Laboratório Vivo para a Descarbonziação do Fundo Ambiental, tendo sido a mesma aprovada.

Fonte:CMSeixal

Partilhe esta notícia