A Volkswagen Autoeuropa inicia esta segunda-feira um período de downdays, dias sem laboração, que se prolongará até 1 de setembro, depois de ter estado encerrada nas últimas três semanas para férias.

O Coordenador da Comissão de Trabalhadores, António Chora, explicou ao Distritonline, que ao contrário das paragens que se verificaram nos anos anteriores por falta de encomendas, esta paragem, que “já estava programa há muito tempo”, deve-se à “necessidade de terminar uma intervenção na unidade de pintura”.

António Chora garantiu que “para já não existem dados nenhuns que indiquem que se vai verificar mais algum período de não produção até ao final de 2014”. Recorde-se que em janeiro, a Volkswagen Autoeuropa já tinha feito seis dias de ‘downdays’.

O período de paragem de produção acontece depois de serem divulgados, pela Associação Automóvel de Portugal, os últimos números do setor que dão conta de uma subida de produção de 12,3% no primeiro semestre do ano, na Autoeuropa. Os dados revelam ainda que só em junho saíram 11.793 veículos da fábrica de Palmela, mais 32% do que tinha sido montado em igual período do ano anterior.

Os números não surpreenderam o Coordenador da Comissão de Trabalhadores, uma vez que “o primeiro semestre é sempre aquele em que se vendem mais carros em todo o mundo”. Para António Chora, a produção irá “ultrapassar os 91.200 veículos produzidos no ano passado”, contudo, não garante que será “ultrapassada a barreira dos 100 mil veículos”, alcançada em 2010.

De acordo com António Chora, as obras de expansão, no âmbito do investimento de 677 milhões de euros, anunciado em março, “vão ser feitas naturalmente, no entanto as que interfiram com a produção terão de ser realizadas durante as férias ou em downdays”. Todavia, para o sindicalista a contratação de mais 500 profissionais “não deverá acontecer antes de meados de 2016”.

 

Partilhe esta notícia