Augusto Neves de Sousa, cidadão do Barreiro, foi um dos cinco cidadãos que receberam, esta manhã, pelas mãos da Comissão de Honra da Nobre Casa de Cidadania, o título de Cidadão Nobre.

Estes cinco cidadãos – Augusto Neves de Sousa, Domingos Silva, Maria do Céu da Conceição, Maria Gabriel Sousa e Hélder José Pereira – foram assim reconhecidos por terem praticado atos de excecional nobreza, em benefício de terceiros e ausentes de qualquer interesse pessoal, numa cerimónia emotiva e plena de simbologia que reuniu hoje, no Pavilhão das Galeotas, em Lisboa, cerca de 70 pessoas.

O barreirense recebeu este título, de acordo com a Nobre Casa de Cidadania, “pela autoria do Ato Nobre de ajudar diariamente cidadãos com deficiência e crianças e jovens em risco na Associação Rumo e na Nós – Associação de Pais e Técnicos para Integração do Deficiente, no Barreiro, facilitando o acesso de pessoas com deficiência ao mercado de trabalho, um Ato Nobre que pratica diariamente desde 1978 e que inspira os seus pares, pela extrema dedicação, perseverança e disponibilidade”.

Para a Nobre Casa de Cidadania, os Atos dos cidadãos agora homenageados com o Título Cidadão Nobre são “exemplo de uma sociedade humana, e inspiradora, da qual fazem parte cidadãos exemplares, que sem hesitar, de forma determinada e altruísta fizeram a diferença ao encher de esperança a vida de quem se cruzou no seu caminho”.

“A Nobre Casa de Cidadania, em conjunto com todos os seus parceiros, percorreu um longo caminho. Juntos continuaremos esta missão em prol de uma Cidadania mais participada, em prol de um Portugal mais solidário”, afirma Rosário Farmhouse, membro da Comissão de Honra da Nobre Casa de Cidadania.

Em 2015, a Nobre Casa de Cidadania irá continuar a receber propostas para agraciação, em www.nobrecasadecidadania.pt, de cidadãos que queiram ver alguém reconhecido por um ato praticado e que considerem ser nobre. Numa primeira fase, a seleção dos Atos a agraciar é feita pelo Conselho Institucional da Nobre Casa de Cidadania, do qual fazem parte a Autoridade Nacional para a Proteção Civil, o Corpo Nacional de Escutas, a Direção Geral de Educação, o Estado Maior das Forças Armadas, a Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, a Fundação para a Ciência e Tecnologia, a GRACE, o INEM, a Liga dos Bombeiros Portugueses, a Plataforma Portuguesa das ONG’s para o Desenvolvimento e a Polícia de Segurança Pública. Sendo, numa segunda fase, requerida a intervenção da Comissão de Honra, à qual pertencem personalidades distintas da sociedade portuguesa como o Professor António Barros Cardoso, o Professor Daniel Serrão, o General Loureiro dos Santos, Júlio Isidro, Manuel Sérgio, o Padre Vitor Melícias, Pedro Bacelar de Vasconcelos e Rosário Farmhouse.

Recorde-se que, a Nobre Casa de Cidadania surgiu sob a mentoria da empresa cidadã Nobre que identificou a necessidade e a oportunidade de reconhecer e homenagear estes atos, de forma a transmitir às atuais e novas gerações o verdadeiro valor e significado de nobreza e cidadania.

Partilhe esta notícia