O Comando Territorial de Setúbal, através do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) do Montijo e do Destacamento de Trânsito (DT) de Setúbal, na tarde de ontem, dia 24 de junho, apreendeu 500 quilos de amêijoa-japonesa, ruditapes philippinarum, na localidade de Coina-Barreiro.

No âmbito de uma operação de fiscalização, foram abordados quatro veículos que efetuavam o transporte de bivalves em situação irregular, sem qualquer tipo de documentação comprovativa da sua origem, sendo que os proprietários também não tinham os respetivos cartões de mariscador. A falta desta documentação originou a apreensão do pescado e a elaboração de oito autos de contraordenação, correspondendo a coimas que podem atingir os 3 740 euros.

Os bivalves, por parecer da autoridade veterinária e por se encontrarem vivos, foram devolvidos ao seu habitat natural.

A Guarda Nacional Republicana alerta que a captura deste tipo de bivalves, sem que os mesmos sejam sujeitos a depuração ou ao controlo higiossanitário, pode colocar em causa a saúde pública, caso sejam introduzidos no consumo, devido à possível contaminação com toxinas, sendo o documento comprovativo da origem do bivalve fulcral para a prevenção da introdução de forma irregular no consumo.