Um grupo de amigos faz o gosto ao pé, todas as quartas-feiras à noite, no Barreiro. Mas têm algo que os diferencia de todos os grupos que jogam futebol, por brincadeira e em torneios de futebol de 7, em Portugal: vestem-se com as cores do Beroe Stara Zagora, um clube médio da Bulgária e sonham tornar-se, a longo prazo, uma filial do clube búlgaro.

No início da década de setenta, as cidades do Barreiro e de Stara Zagora assinaram um acordo de germinação, através do qual nasceu a rua do Barreiro na Bulgária e a rua Stara Zagora na cidade da Margem Sul do Tejo. Os moradores da rua, situada no coração do município do Barreiro, desconheciam a história da cidade que lhes dava mote. No entanto, no último ano um grupo de jogadores amadores, moradores naquela zona, criou uma relação especial e de proximidade com o clube búlgaro que motivou a criação do Barreiro Stara Zagora, a mais recente coletividade desta cidade do distrito de Setúbal.

Ricardo Cabrita, atual presidente do clube barreirense, revelou que o primeiro contato com o Beroe aconteceu há um ano, pelo Facebook, através do qual procuraram adquirir os equipamentos do clube. No entanto, a reação do Beroe, para o representante da coletividade, “superou as expectativas”, uma vez que “os dirigentes búlgaros mostraram-se interessados em conhecer a história” e decidiram oferecer os equipamentos ao grupo de jogadores, pedindo em troca “apenas uma fotografia plantel equipado”. A partir desse dia, Ricardo Cabrita e os amigos seguem atentamente as notícias, os resultados e as classificações e tornaram-se, verdadeiros, “adeptos do emblema búlgaro”, pelo qual nutrem um “sentimento especial”.

À medida que a curiosa história tornou-se conhecida entre os moradores das duas cidades, os laços entre os dois clubes têm-se tornado cada vez mais sólidos, o que fez com que acerca de sete meses, um grupo de adeptos do Beroe tenha decidido visitar o Barreiro e conhecer a rua Stara Zagora. “Vieram a Portugal por motivos profissionais, mas aproveitam também para conhecer-nos e conhecerem a nossa realidade. E, no fim transmitiram-nos um feedback bastante positivo”, explicou Ricardo Cabrita.

“O sonho de sermos um clube oficial surgiu após o contacto com o Beroe, uma vez que a ideia de sermos uma equipa amadora e de amigos existe há várias décadas, inclusivamente nos anos setenta chegou a existir um grupo de moradores da rua Stara Zagora que participava nos torneios locais com o nome de Estrelas Futebol Clube”, garantiu o presidente do Barreiro Stara Zagora Futebol Clube, fundado a 29 de maio deste ano.

Ricardo Cabrita explicou que a ideia é criar “um protocolo de cooperação entre o clube barreirense e o Beroe”, que na primeira fase será “sobretudo institucional”, de forma a potenciarem a “consolidação do clube em Portugal”, algo que será, provavelmente, decidido numa reunião presencial na Bulgária com a direção do clube bulgaro. Todavia, o fundador do mais recente emblema do Barreiro espera que, a longo prazo, consigam tornar-se uma efetiva filial do clube da Bulgária.

Atualmente, o clube do Barreiro encontra-se ainda a delinear o futuro, mas o presidente adiantou que já têm, para além do grupo que joga futebol por brincadeira, um grupo de BTT que encontra-se, semanalmente, na rua Stara Zagora, para treinar. “O objetivo do grupo de BTT é divulgar o clube mas também a modalidade e a médio/ longo prazo organizarmos as nossas próprias provas”, acrescentou.

Ricardo Cabrita pretende avançar, ainda este ano, com um grupo de atletismo, também com periodicidade semanal e, posteriormente, conforme a evolução do grupo criar um grupo oficial de atletismo que participe nas provas da região, deixando nas entrelinhas que poderão ainda surgir, a médio prazo, “algumas variantes do futebol como modalidade”.

Para já foram assinados dois protocolos de cooperação que o presidente do clube do Barreiro considera de “elevado interesse”. Um com a Associação-META, através do qual os associados usufruem das mesmas vantagens dos sócios da META na prática de ténis no parque da Baixa da Banheira, no concelho da Moita e cujos jogadores passarão a envergar na camisola com os dois emblemas e o nome “Barreiro Stara Zagora by META”. E outro com a Geração Benfica do Barreiro, através deste protocolo os associados usufruem de descontos na mensalidade iguais aos dos associados do Benfica, a Geração Benfica tem atletas dos 3 aos 10 anos de idade, dos 3 aos 6 anos os treinos são realizados no Indoor do Play4fun e dos 7 aos 10 na Escola da Quinta da Lomba.

Para o responsável do Barreiro Stara Zagora, o facto de não terem sede torna “muito mais complicada” a implementação da coletividade. Contudo, adiantou que “a situação está próxima de ser minimizada, uma vez que um dos parceiros do novo emblema do Barreiro irá, provavelmente, disponibilizar o espaço da empresa para espaço oficial da entrega e recolha das propostas de sócios e de mais algumas informações sobre o associativismo do clube”, realçando que ficariam “agradecidos a quem cedesse, provisoriamente, um espaço para sedear o clube”.

“Acredito que onde existem dificuldades, se as conseguirmos ultrapassar o sucesso será ainda maior, uma vez que tornamo-nos muito mais preparados para ultrapassar os futuros desafios”, destacou Ricardo Cabrita.

Partilhe esta notícia