O BB Blues Fest – 7ª edição, na Baixa da Banheira, arranca já a 31 de maio, prolongando-se até ao dia 3 de junho, em vários espaços do Fórum Cultural José Manuel Figueiredo e Parque José Afonso, na Baixa da Banheira. Durante quatro dias, esta vila do concelho da Moita vai estar na rota dos amantes do Blues.

O arranque está marcado para as 22:00h do dia 31 de maio, com o espanhol Tòfol Martinez, no palco do Café-Concerto do Fórum Cultural. A entrada é gratuita, mas limitada à lotação do espaço.

Para o dia 1 de junho, já no auditório do Fórum Cultural, estão previstos dois grandes concertos: às 21:30h, com Ian Siegal (UK), distinguido recentemente nos UK Blues Awards nas categorias Male Blues Vocalist of the Year e Acoustic Blues Act of the Year, e às 23:00h, com o americano John Németh.

Os bilhetes para este dia têm o valor de 10 euros (disponíveis na rede Ticketline e podem também ser adquiridos no próprio dia, a partir das 20:30h, no Fórum Cultural).

A abrir o dia 2 de junho, pelas 21:30h, no auditório do Fórum Cultural, vai estar o português Frankie Chavez, seguindo-se, às 23:00h, a grande voz feminina Diunna Greemleaf (EUA).

Os bilhetes para este dia têm o valor de 10 euros (disponíveis na rede Ticketline e podem também ser adquiridos no próprio dia, a partir das 20:30h, no Fórum Cultural).

O último dia do BB Blues Fest, 3 de junho, tem um registo mais descontraído, com o Blues Picnic, a partir das 15:00h, no Parque José Afonso, na Baixa da Banheira. Esta tarde é dedicada a bandas portuguesas de blues: Hokum Blues, The Smokestackers, Them Sacks’a Potatoes e The Ramblers. Além de boa música, o Blues Picnic vai contar com um insuflável, para diversão dos mais novos, com a presença de um barbeiro da vila da Baixa da Banheira, amante deste género musical, que se associa à iniciativa, cortando cabelos no local, gratuitamente, e também espaços de comes e bebes.

Passe por lá. A entrada é gratuita.

O BB Blues Fest – 7ª edição resulta de uma organização conjunta entre a Associação BB Blues Portugal, a Câmara Municipal da Moita e a União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira.

 

Acompanhe o BB Blues Fest nas várias plataformas disponíveis:

www.bbbluesportugal.com

www.bbbluesfest.com

www.facebook.com/bbbluesfest

http://twitter.com/BBBluesPortugal

www.youtube.com/channel/UCv-LKLXWxaDVP9opo-AjghA

www.cm-moita.pt

www.facebook.com/cm-moita.pt

www.ufbbva.pt

 

 

Tòfol Martinez – 31 de maio, às 22:00h, Café-Concerto do Fórum Cultural

Tòfol Martínez mostrou, desde cedo, a sua paixão pelo blues e pela música negra, em geral. Montou a sua primeira banda com quinze anos! Desde então, conta com muitos festivais, discos, concertos, colaborações, etc. (em 2015/2016 participou como ator e músico na peça La Puerta de al Lado, encenada, em Madrid, pelo consagrado encenador espanhol, Sergio Peris-Mencheta), sempre com a mesma ilusão e as mesmas ganas de tocar. Com a Tòfol Martinez Blues Band, a sua atual banda, gravou os discos Hallelujah (2011), 1979 (2014) e No Panic! (2017), realizando concertos por toda a Europa.

Nos seus concertos costuma revisitar não apenas os temas de seus discos (incluindo From Tossa to Bentayga, a sua particular colaboração de 2012 com Alberto Gulias, apresentada em concerto no BBBF 2013), mas também vários clássicos do blues, da música soul e do funk. No concerto do BB Blues Fest estará acompanhado pelo baixista português Hugo Ganhão.

 

Ian Siegal – 1 de junho, às 21:30h, no auditório do Fórum Cultural

Ian Siegal é uma das figuras de referência do panorama atual do blues britânico. Cantor, compositor, guitarrista e, sobretudo, contador de histórias, faz como ninguém a ponte entre a tradição britânica e as raízes profundas da música americana, sendo dos poucos a conseguir o mesmo nível de reconhecimento dos dois lados do Atlântico. Um dos primeiros a ver o seu nome na British Blues Hall of Fame, coleciona nomeações e galardões nos Blues Awards USA e nos British Blues Awards. Recentemente, venceu as categorias Acoustic Blues Act of the Year e Male Blues Vocalist of the Year, nos UK Blues Awareds.

Os discos Man & Guitar (2014) e Broadside (2019 foram considerados “Blues Album of the year” pela revista Mojo. Músico aventureiro, tem uma pérola injustamente desconhecida no disco Broadway in Satin: Billie Holiday Revisited (2009), fruto da sua colaboração com a francesa L’Orchestre National de Jazz. Abre a primeira noite de auditório da sétima edição do BB Blues Fest, num regresso ao palco onde fez, em 2015 o Warm-Up do festival, no mesmo formato, solo acústico.

 

John Németh – 1 de junho, às 23:00h, no auditório do Fórum Cultural

Diretamente de Memphis, Tennessee, um dos mais entusiasmantes e originais bluesmen dos últimos anos, em estreia absoluta em Portugal. John Németh é um dos mais reconhecidos intérpretes e harmonicistas da cena blues e soul americana. Dinâmico e criativo, com a sua voz «faustosa», consolidou um estilo muito próprio, quebrando barreiras entre os diferentes estilos e géneros.

Influenciado por Al Green, Lowel Fulson ou Jimmy McCracklin, conquistou já alguns importantes reconhecimentos: Soul Blues Album of the Year (2015), Soul Blues Male Artist of the Year (2014), Living Blues Vocalist of the year (2010), Blues Blast Magazine Best Debut Artist Recording e o Sean Costello Rising Star Award.

Apresenta-se no BB Blues Fest com a sua banda americana, para fechar o primeiro dia de junho, num concerto de blues contemporâneo que se advinha excitante.

 

Frankie Chavez – 2 de junho, às 21:30h, no auditório do Fórum Cultural

Figura maior do panorama musical português e considerado a nova revelação do blues do sul da Europa, Frankie Chavez é também um dos músicos do particular «universo» do produtor e baterista Fred Ferreira (Buraka Som Sistema, Orelha Negra, Banda do Mar e um longo etc. que inclui os barreirenses Nicotine’s Orchestra).

Frankie Chavez usa diferentes guitarras (incluindo guitarra portuguesa), com afinações diferentes, bateria personalizada e uma ampla gama de pedais de efeitos, criando um som rico e forte, onde nada está fora do lugar. O resultado é um estilo blues/folk/rock, influenciado por Robert Johnson, Jimmy Hendrix, Kelly Joe Phelps ou Ry Cooder.

Atua no palco principal do BB Blues Fest num concerto único em formato acústico e com muitas surpresas.

 

Diunna Greenleaf – 2 de junho, às 23:00h, no auditório do Fórum Cultural

Voz maior do blues texano, Diunna Greenleaf já cantou com Bob Margolin, Keb Mo, Willie “Pinetop” Perkins, Hubert Sumlin, Willie “Big Eyes” Smith, James Cotton, Carrie Bell, Big Bill Morganfield, Smoking Joe Kubek ou B’Nois King, entre outros. Vencedora do Koko Taylor Award de 2017, galardão atribuído pela The Blues Foundation.

Com raízes no gospel, a voz de Diunna é um dos segredos melhor guardados do blues. Exigente e perfeccionista nas gravações, tem apenas três álbuns gravados, incluindo o seminal Cotton Field to Coffee House (2007); o seu mais recente é de 2011, Trying to Hold On. Enquanto os melómanos mais atentos aguardam com expectativa a sua próxima gravação, o BB Blues Fest tem a honra de acolher um concerto que se prevê apaixonante, um momento de exploração pelo melhor e mais profundo da música negra americana.

 

Blues Pcnic – 3 de junho, às 15:00h, no Parque José Afonso

Hokum Blues

Hokum é um tipo particular de blues – canções humorísticas que usam analogias ou eufemismos para abordar temas sexuais… Este tropo remonta às primeiras gravações de blues e é usado, de tempos em tempos, nos modernos blues e blues rock americanos. É com isto em mente que os lisboetas João Afonso, Luís Ferreira, Fernando Gomes e Octávio Rodrigues – os Hokum Blues Band – propõe uma revisitação de Hendrix, Gary Clark Jr. ou Stevie Ray Vaughan.

The Smokestackers

Os The Smokestackers surgem de uma conversa num estúdio e de um gosto em comum pelo blues. Sempre com as raízes do mesmo em cena, o duo formado por João Belchior e Diogo Mão de Ferro, representam a imagem e sentimento do género, num reportório que abrange o tradicional e canções mais atuais. Em formato acústico, com umas notas de slide guitar e uma harmónica, assim como vozes que cantam essas letras que vão passando de geração em geração para bailar.

Them Sacks’a Potatoes

Them Sacks’a Potatoes é uma união de músicos de diferentes projetos musicais que se encontram na casa espiritual de todos, o blues, com o intuito de recriar as raízes da música-mãe das músicas populares (e não só) do século XX. Sara Badalo (Sam Alone & the Gravediggers, Storm & the Sun), Gito Lima (The Soaked Lamb), Miguel Lima (The Soaked Lamb), o incontornável e «nosso» Fast Eddie Nelson, João Oliveira (Blues Fever Band, Guillande) e Selmer Rodrigues (The Jukeboxers).

The Ramblers

The Ramblers são gipsy-bluers lisboetas, formados em fevereiro de 2007 e inspirados por um velho blues dos Rolling Stones, «Midnight Rambler».

Ao longo dos últimos 10 anos, fizeram inúmeros concertos, incluindo a abertura dos concertos de BB King (Rock ‘n’ Roll Hall Of Fame), Ian Siegal (UK Blues Hall Of Fame), Carvin Jones (Guitarrist Magazine 50 Greatest Blues Guitarrists of All-Time) ou Blasted Mechanism (“Best Portuguese Act” – MTV Europe Music Awards). Em 2018, os «Piratas do Blues» preparam um novo trabalho de estúdio a ser distribuído online, através da plataforma espanhola EMU bands, por terem ficado no Top3 Ibérico do concurso do Festival SubeRock em San Vicente de Alcantara (Espanha).

Ao vivo juntam-se a Rosie, Richards e Lou, o baterista Alexandre Antunes (Virgul, Carlão, João Gil, Da Chick) e o saxofonista André Lourenço (Farra Fanfarra).

 

Partilhe esta notícia