O Bloco de Esquerda solidarizou-se esta quinta-feira, durante a Assembleia de Moradores, com as 41 famílias em risco de perder as suas casas em dois bairros de Pinhal de Negreiros e Vendas de Azeitão.

“Como é público, estas famílias enfrentam uma batalha legal e política pelo direito a manter as suas casas. Ao longo de quase 30 anos estas famílias pagaram escrupulosamente as suas prestações até que as casas ficaram pagas na totalidade. No entanto, há poucos anos a Cooperativa abriu falência e as escrituras nunca foram feitas. Agora os credores, nos quais se inclui a banca e o IRHU, reclamam as casas destas famílias para pagar as dívidas da cooperativa”, explica o Bloco de Esquerda, em comunicado.

A reunião, que decorreu na Junta de Freguesia de São Simão e São Lourenço de Azeitão, foi convocada face à informação dada pela juíza do processo, de que o leilão das casas, suspenso em setembro do ano passado, deverá ser retomado em breve, em data a anunciar.

No encontro marcou presença uma comitiva do BE, composta pela deputada do grupo parlamentar do BE Mariana Aiveca, o deputado na Assembleia Municipal de Setúbal Henrique Guerreiro, Carlos Branco na qualidade de membro eleito na Assembleia da União de Freguesias de Setúbal e membro no Conselho Municipal de Segurança do Município de Setúbal e Joana Mortágua da Comissão Coordenadora Distrital de Setúbal.

O BE defende que “estas famílias não podem ser desapropriadas do que é delas por direito”, acrescentando que a confirmar-se o despejo destas 41 famílias, “o Estado não só está a infringir um direito Humano, como o direito à habitação que consta na Constituição da República Portuguesa”.

“Este é um caso flagrante de desresponsabilização deste Governo que põe em risco a vida destas pessoas”, rematam.

Partilhe esta notícia