O deputado do PSD do distrito de Setúbal, Bruno Vitorino, lamenta que a Câmara Municipal da Moita esteja a protelar a cedência dos terrenos para a construção do novo posto da GNR, considerando que a autarquia colocou este processo “dentro da gaveta”.

O social-democrata lamenta que a Câmara esteja a atrasar a construção da nova infraestrutura da GNR no concelho da Moita, quando foi a própria autarquia que no início deste ano apresentou uma proposta para permuta do antigo Quartel dos Bombeiros Voluntários da Moita, que é pertença do Ministério da Administração Interna, com um terreno do município onde seriam construídas as novas instalações.

“Não sei se esta demora tem a ver com o aproximar das eleições, para que o executivo do PCP possa continuar a insistir na mentira que tenta sempre passar, de que o Governo nada faz, e depois quando a obra aparece feita os louros são sempre das autarquias comunistas”, sublinha.

“Será que o PCP tem medo que o Governo resolva mais um problema no concelho e no distrito? É lamentável que coloque a sua ideologia à frente das necessidades das populações”, acrescenta.

Bruno Vitorino lembra que mesmo antes da GNR ocupar as atuais instalações na Vila da Moita, em 2008, onde anteriormente estava a PSP, as condições do espaço sempre foram uma preocupação para o PSD.

“Esta não é uma situação que tem poucos anos. O PSD tem vindo ao longo do tempo a alertar e a pedir uma solução para esta questão, contundo nos últimos tempos a degradação do edifício tem-se vindo a acentuar, havendo a necessidade de uma mudança urgente de instalações”, destaca.

O social-democrata recorda que a 07 de Janeiro de 2015, os deputados do PSD do Distrito de Setúbal reuniram com o Comandante do Destacamento Territorial de Setúbal da GNR onde foi abordada a questão das instalações na Vila da Moita.

“Poucos dias depois, visitamos as instalações da GNR na Vila da Moita, onde defendemos novamente a necessidade de instalações dignas e funcionais para os militares, para além de pedirmos uma reunião urgente à Ministra da Administração Interna com o intuito de debater esta questão”, realça.

Bruno Vitorino refere que a 20 de Março de 2015, o site da Câmara Municipal da Moita informou que o presidente da autarquia reuniu com secretário de Estado Adjunto da Ministra da Administração Interna.

A Câmara Municipal informou ainda que o secretário de Estado manifestou algumas dúvidas quanto à localização e ao projeto inicial previsto, propondo o estudo de alternativas em conjunto com a autarquia. O presidente da Câmara disponibilizou-se para, em conjunto com o MAI, encontrar uma solução, que pode passar pela permuta do antigo quartel por um terreno municipal, possibilitando, assim, a construção de um novo posto. A Câmara diz ainda que foi apontado o ano de 2016 para a realização do investimento por parte da Administração Central.

“A autarquia é que informa que propôs a permuta, para além de adiantar a data da construção do novo quartel, e é a mesma autarquia que meses depois atrasa o processo. No mínimo é irónico”, conclui o deputado.

 

Partilhe esta notícia