Bruno Vitorino diz que PS ao repetir promessas de 2001 “só ajuda a CDU”

O candidato do PSD à presidência da Câmara Municipal do Barreiro, Bruno Vitorino, lamenta que o PS “ao invés de fazer propostas credíveis para melhorar a vida dos cidadãos, volte a apresentar propostas megalómanas, muitas delas repetidas do programa de 2001 e que nunca saíram do papel”.

“É preciso recordar que o PS em 2001 ganhou as eleições, e que o hotel, as marinas,a pista de remo e de canoagem, entre muitas outras promessas, nunca saíram dos panfletos eleitorais”, aponta o social-democrata.

Bruno Vitorino considera inacreditável que os mesmos socialistas que em 2001 prometeram tudo a todos e que não cumpriram rigorosamente nada durante os 4 anos em que foram poder, tenham a “desfaçatez” de voltarem a fazer as mesmas promessas.

“Como se não bastasse voltarem com as promessas para um hotel e uma marina, ainda acrescentam uma roda gigante, inspirada no modelo que se encontra em Londres e que custou cerca de 70 milhões de euros”, refere.

A juntar a estes projetos, o PS ainda propõe a oferta de cheques cultura e a redução da tarifa da água, promessas essas que uma vez mais deixam Bruno Vitorino incrédulo.

“O programa do PS é constituído por propostas irrealistas e inviáveis financeiramente. Vejamos outro exemplo, que é o cheque cultura, cujo custo é superior a 6 milhões de euros por mandato”, aponta.

Outra promessa que merece criticas, é a redução do custo da água, em que o social-democrata lembra que nos últimos 12 anos o PS votou sempre a favor dos aumentos do tarifário, ao lado da CDU.

“Com tudo isto o PS dá um tiro no próprio pé e destrói a credibilidade que lhe restava”, afirma.

Para Bruno Vitorino, esta forma de fazer política “é a melhor ajuda que a CDU podia ter nestas eleições, mas também prova que a única força verdadeiramente credível e de mudança é o PSD”.

Partilhe esta notícia