O candidato do PSD a presidente da Câmara Municipal do Barreiro, Bruno Vitorino, quer ações que fomentem a criação, estabelecimento e manutenção de empresas no concelho, dinamizando a economia local, tornando a cidade mais atrativa e competitiva.

“O Barreiro tem de ter politicas para as empresas. Do comércio local e dos mercados, às PME´s até as grandes empresas exportadoras, todos devem ter uma grande atenção da Câmara. São as empresas que criam emprego, sem estas os concelhos definham, perdem população e envelhecem.  A área económica tem de ser a nossa grande aposta, para dar futuro ao Barreiro”, afirma.

Na sequência de uma visita ao parque empresarial Baía do Tejo, o social-democrata considera que a Câmara do Barreiro não tem sido amiga das empresas, antes pelo contrário, cria obstáculos. Ainda há muito “preconceito ideológico em relação aos empresários”.

“A administração da Baía do Tejo tem feito um trabalho de grande valor nesta área mas, ao nível do concelho, esse trabalho não é suficiente. É preciso que a Câmara tenha uma estratégia própria, que saiba o que quer, que crie parcerias, que crie um espaço para novos empreendedores, com acesso a áreas comuns e a serviços partilhados, se necessário a custo zero, pelo menos no primeiro ano de vida”, explica.

Bruno Vitorino recorda a proposta apresentada pelo PSD para a criação de Incubadoras de Empresas no concelho, procurando parceiros para reformular e reabilitar espaços urbanos e disponibilizá-los a baixo custo para novas empresas.

O objetivo será estabelecer uma entidade capaz de apoiar os projetos empreendedores, nos seus primeiros tempos, ao nível técnico, jurídico e organizacional, em modelo similar aos ninhos de empresa já existentes em diversos municípios do país, como Cascais (DNA Cascais), Coimbra (IPN) ou Lisboa (startup).

A Incubadora de Empresas do Barreiro (IEB) trabalharia em cooperação direta com a Agência Local de Investimento, que é outra das propostas defendidas pelo candidato, dispondo de serviços partilhados de comunicações e economato, reduzindo os custos da pequena escala, assim como equipas ou parcerias com vista a ajudar as suas empresas a ganharem mercado, a potenciar a sua marca, alargando os promotores os seus conhecimentos nas áreas de gestão, estratégia, finanças, fiscalidade, marketing e qualidade.

“O Barreiro tem todas as capacidades para atrair investimento. As nossas propostas vão nesse sentido. Acreditamos que estes projetos, juntamente com a descida dos impostos e das taxas municipais, da redução da burocracia, com um gabinete de apoio direto ao empresário, vão tornar a cidade muito mais competitiva”, acrescenta.

Bruno Vitorino acredita que o território da Baía do Tejo é um local bastante interessante para as empresas, até pela possibilidade da construção do novo terminal de contentores.

“Se esta obra avançar, a qual foi decidida pelo anterior Governo PSD, poderemos ter neste espaço a criação de um polo logístico, com várias empresas do setor”, realça.

O social-democrata pretende ainda mudar o nome da avenida de que liga o parque empresarial da Baía do Tejo à via rápida do Barreiro.

“Entendemos que a designação de Avenida das Nacionalizações não se enquadra naquilo que pretendemos do Barreiro, que queremos que seja uma terra de empreendedores, de iniciativa privada. Insistir em designações destas, cheias de carga ideológica, só nos fazem parar no tempo. O Barreiro tem de se virar para o futuro”, conclui.

Partilhe esta notícia