O deputado do PSD do distrito de Setúbal, Bruno Vitorino, acusou ontem o PS de não ter feito nada em relação à construção do novo Hospital do Seixal durante os seis anos em que foi governo, altura em que o país tinha todas as condições financeiras para o fazer, afirmando que “não fez nada do que prometeu, mas assim que passou para a oposição, exigiu a construção imediata do mesmo”.

No âmbito da discussão de uma petição pela construção do Hospital do Seixal e também da apresentação de dois Projetos de Resolução do BE e PCP sobre o mesmo tema, o social-democrata mostrou-se “espantado com aquilo que é o descaramento dos dirigentes do PS”.

“Em 2005 ganharam com a maioria absoluta. O hospital do Seixal já estava na agenda política. Em 2009 com objetivos apenas eleitoralistas assinaram um protocolo com a autarquia. Até 2011 continuaram no Governo e não fizeram mais nada”, sublinha.

Bruno Vitorino realça que durante os seis anos em que o PS foi governo, nada foi feito sobre este assunto, ainda para mais quando ainda existiam verbas para a sua construção e sem os condicionalismos impostos pela troika.

O deputado do PSD disse ainda que o PS “não só não construiu o hospital, como deixou o país na miséria, cheio de dívidas”, enquanto que o governo do PSD/CDS-PP construiu novos centros de saúde em Santo António da Charneca, na Quinta do Conde, Sines e duplicou a oferta na rede de cuidados continuados e paliativos no distrito, aumentando ainda o número de médicos de família.

“Pagámos os muitos milhões de euros da divida socialista também aqui no distrito. Neste momento, temos um governo do PS, BE e PCP. Agora cumpram, deem às pessoas aquilo com que se comprometeram”, refere.

Bruno Vitorino espera ainda que a construção do Hospital do Seixal, “não seja uma daquelas promessas iguais a tantas outras que o PS tem feito na região e no país”, esperando agora que o mesmo seja construído e que se garantam os meios financeiros e de recursos humanos para o seu funcionamento, e que, já agora, possam ser construídos os outros centros de saúde que prometeram na Baixa da Banheira, no Alto Seixalinho (Barreiro), em Corroios e em Foros da Amora.

“Mas não façam é o que é vosso costume fazer. Não construam um centro de saúde para depois lá coloquem uma placa a dizer que é um hospital. Isso seria mentir às pessoas”, conclui.

 

 

18 de Dezembro de 2015

 

Partilhe esta notícia