No período antes da ordem de trabalhos da reunião de câmara de 2 de setembro, o presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, apresentou o relatório de gestão financeira municipal referente ao primeiro semestre de 2015.

O presidente informou que “de acordo com o relatório, a situação económica e financeira da Câmara é estável e muito positiva, com redução efetiva do endividamento e equilíbrio orçamental positivo”.

Nos primeiros seis meses do ano, “a câmara reduziu em 952 mil euros o seu nível global de endividamento. No mesmo período, apresentou sempre fundos disponíveis positivos e o prazo médio de pagamento a fornecedores foi de 18 dias, quando no período homólogo do ano transato era de 50 dias”, realçou Nuno Canta.

“Na análise de execução orçamental verifica-se um excelente grau de realização de despesa, com um aumento no investimento público na ordem dos 761 mil euros”, acrescentou.

Comparativamente ao período equivalente de 2014, as despesas com pessoal sofreram um aumento que o presidente Nuno Canta justificou com “a atualização de vencimentos, a contratação de professores para as Atividades de Enriquecimento Curricular e o aumento da comparticipação para a Segurança Social”.

O ponto menos positivo está relacionado com a receita, em particular dos impostos diretos com o Imposto Municipal sobre Transações. No primeiro semestre de 2015, a receita arrecadada foi inferior ao período de 2014, “demonstrando a continuidade de um ambiente económico difícil e com pouca confiança. Isto obriga-nos a um maior esforço na gestão financeira e, até determinado ponto, poderá condicionar opções futuras”, afirmou.

Nuno Canta concluiu a sua intervenção, afirmando que os “resultados confirmam a qualidade da gestão autárquica que estamos a liderar à frente dos destinos do Montijo”.

O relatório de gestão financeira municipal semestral foi elaborado por um Revisor Oficial de Contas, sendo por isso um documento produzido por uma entidade externa e independente à câmara municipal.

 

Partilhe esta notícia