Câmara presta homenagem a Jorge Peixinho com mural de arte urbana

No Dia Mundial da Música, 1 de outubro, o Município do Montijo prestou homenagem ao Maestro Jorge Peixinho, com a inauguração de um mural de arte urbana da autoria do street artist João Samina. O mural está localizado na Av. Maestro Jorge Peixinho. 

Um momento simbólico, de evocação “de um dos maiores compositores do século XX, expoente máximo da cultura montijense. Erguer um mural com o seu nome, na avenida também com o seu nome, é transportar para o espaço público a obra, o espírito e a genialidade de Jorge Peixinho”, afirmou o presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta. 

O autarca agradeceu o contributo e parceria de João Samina, acrescentando, ainda, que Jorge Peixinho foi “um homem de liberdade, uma referência no país, um lutador pela cultura e democratização da cultura em Portugal”,

João Samina, o artista escolhido para retratar a figura do Maestro Jorge Peixinho, referiu a importância de “nos dias de hoje, valorizar o património, a cultura e a identidade de cada local. Esta iniciativa da câmara é um gesto que deve ser valorizado. Fica um bocadinho de mim no Montijo com esta homenagem a Jorge Peixinho. Estes murais são os novos monumentos do século XXI, que não só embelezam as cidades como tornam o espaço público mais próximo das pessoas”. 

Ao mural de Jorge Peixinho juntou-se a atuação do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, coletivo fundado em 1970 por Jorge Peixinho, que interpretou Welkom e Sine Nomine, duas obras do maestro montijense. 

Jorge Peixinho nasceu no Montijo em 1940, tendo vindo a falecer 30 de junho de 1995. Foi um dos mais importantes compositores portugueses do século XX, tendo tido um papel fundamental na atualização do panorama musical nacional entre 1961 e meados da década de 80 do século passado. Ao longo da sua carreira recebeu inúmeros prémios de composição, tendo igualmente sido galardoado com a Medalha de Ouro da Cidade do Montijo. 

street artist, João Samina nasceu em 1989, em Setúbal. Desde cedo teve contacto com o mundo das artes, principalmente com o desenho e com a pintura. Aos 14 anos, iniciou o seu caminho no mundo da Street Art quando começou a desenhar e colar stickers. Estudou arquitetura e essa formação passou a fazer parte integrante das suas obras, que também evoluíram da street art para outras “telas”.

Partilhe esta notícia