Os candidatos da coligação PSD/CDS-PP aos órgãos autárquicos de Palmela consideram que o ciclo do PCP/CDU terminou, tendo em conta a ausência de políticas estruturantes para o concelho e o afastamento em relação aos problemas do dia-a-dia da população.

Na apresentação pública dos cabeças-de-lista às freguesias do concelho, realizada sexta-feira, o atual executivo comunista foi bastante criticado, sobretudo devido à incapacidade de resolver problemas concretos nas várias localidades.

Linda Oliveira, candidata a presidente da Junta de Freguesia de Palmela, defende um reforço dos apoios aos mais idosos, políticas voltadas para a juventude e a recuperação do centro histórico da vila.

Para a freguesia do Pinhal Novo, o cabeça-de-lista Roberto Cortegano, pretende combater a elevada taxa de IMI paga pelos munícipes, querendo ainda aproximar a zona urbana da zona rural, dando prioridade ao arranjo de estradas e fazendo chegar a rede de saneamento básico a todos os moradores.

A perda de população é um dos fatores mais preocupantes para Custódio Portássio. O candidato à União de Freguesias de Poceirão e Marateca alerta para a falta de empregos e para a iminência de brevemente já não existirem jovens a residir nestas duas localidades.

Por seu lado, Colin Marques, candidato a presidente da Junta de Freguesia da Quinta do Anjo, aponta o dedo ao PCP por “agressões à freguesia por incapacidade, arrogância e má gestão”. O candidato dá primazia às questões sociais, que têm sido ignoradas pelo atual executivo.

O candidato a presidente da Câmara Municipal de Palmela, Paulo Ribeiro, e a candidata a presidente da Assembleia Municipal, Rosa Pinto, destacaram “o querer e a ambição dos candidatos, que não dependem da política, pois têm as suas profissões, bem como o empenho em resolver os problemas das pessoas e das suas freguesias”.

Partilhe esta notícia