CDS questiona Governo sobre degradação do edifício e viaturas na Divisão da PSP no Pragal

Os deputados do CDS-PP Nuno Magalhães, Telmo Correia e Vânia Dias da Silva querem saber para quando está prevista a resolução dos problemas da degradação do edifício e falta de viaturas na Divisão da PSP no Pragal.

Na pergunta enviada ao Ministro da Administração interna, os deputados questionam se a tutela tem conhecimento do estado de degradação em que se encontra o edifício onde está sediada a Divisão da PSP do Pragal, em Almada, se o Ministro tem conhecimento das condições de mau estado em que se encontram duas carrinhas ao serviço dos agentes da PSP de Almada, se entende ou não que a morosidade na resolução dos problemas supra mencionados podem colocar em causa a operacionalidade dos agentes da PSP na proteção às populações sob a sua jurisdição e, ainda, para quando está prevista a resolução do problema.

É obrigação do Estado, através das forças policiais, garantir a segurança dos seus cidadãos quer ao nível da sua integridade física quer ao nível dos seus bens.

Para que essa segurança e proteção possa ser garantida de forma mais eficiente e eficaz pelas forças policiais, as mesmas necessitam de atuar em condições adequadas à sua operacionalidade, quer em meios técnicos quer em meios materiais e humanos.

As instalações que abrigam as forças de segurança devem primar pelo conforto, pelo bom estado de conservação e dever ser adaptadas às funções e missões de cada força.

Notícias reiteradas nos órgãos de comunicação social, dão conta de que a Divisão da PSP do Pragal, em Almada, se encontra com diversos constrangimentos ao nível da sua infraestrutura, nomeadamente ao nível de infiltrações nas paredes e nos tetos do edifício, levando mesmo a que os agentes tenham necessidade de colocar baldes para conter a água que cai.

Acrescentam as mesmas notícias que duas das viaturas do parque automóvel ao serviço da PSP do Pragal se encontram com diversos problemas, que impendem não só o seu normal funcionamento, como também a sua circulação por falta de inspeção entre outros constrangimentos.

O CDS entende que, a confirmar-se a manter-se esta situação, a PSP de Almada vê reduzida a sua eficácia e operacionalidade na segurança e na proteção às populações.

Fonte:CDS

Partilhe esta notícia