Numa pergunta enviada ao Ministério da Saúde, os deputados do CDS Nuno Magalhães, eleito por Setúbal, e Isabel Galriça Neto questionam a tutela sobre recentes casos de doentes infetados com bactérias multirresistentes no Hospital Garcia de Orta, em Almada.

O ambiente hospitalar está exposto a um nível consideravelmente elevado à propagação e contaminação de bactérias infetocontagiosas, altamente nocivas para a saúde.

Os utentes internados nos hospitais encontram-se expostos e enfraquecidos no que respeita às suas defesas contra as infeções de bactérias multirresistentes, acrescendo o risco de contaminação e propagação quando não são tomadas as devidas precauções.

Devem ser tomadas medidas preventivas e de precaução com doentes contaminados com bactérias multirresistentes, nomeadamente o uso de proteção individual, o manuseamento de materiais médicos e hospitalares, tal como o seu isolamento como mandam as normas e o devido acompanhamento.

Segundo notícias vindas a público, no Hospital Garcia de Orta, em Almada, foram identificados doentes infetados com bactérias multirresistentes, tais como a E-coli e a Klebsiela, e que estes não estão isolados como deve constar nos procedimentos a seguir em caso de infeção.

A exposição e contacto de doentes infetados com bactérias multirresistentes com o pessoal hospitalar e com os demais utentes, quando não são tomadas as devidas precauções e o seu isolamento, pode consubstanciar um elevado fator de risco de contaminação e de epidemia.

O Bastonário da Ordem dos Médicos veio publicamente manifestar a sua preocupação pelo não isolamento destes doentes infetados face a outros pacientes no Hospital Garcia de Orta, como mandam as normais internacionais, manifestando, em simultâneo, a sua preocupação pelo défice de camas, que está a colocar constrangimentos ao hospital.

Vários profissionais de saúde do Hospital Garcia de Orta, já manifestaram o seu descontentamento e a sua preocupação com o problema.

Apesar de a inspeção realizada, entretanto, no Hospital Garcia de Orta pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), persistem ainda dúvidas quanto aos factos em apreço, uma vez que a DGS apontou a insuficiência de camas.

Nuno Magalhães e Isabel Galriça Neto querem, assim, que o Ministério da Saúde confirme a existência de doentes no Hospital Garcia de Orta, em Almada, infetados com bactérias multirresistentes, e sem estarem devidamente isolados, e se estão, ou não, a ser cumpridas as normas internacionais para a proteção nas infeções hospitalares.

Os deputados do CDS questionam ainda que medidas pretende o Ministério da Saúde tomar para a resolução imediata do problema identificado, quais os mecanismos que vai desencadear para que sejam apuradas as devidas responsabilidades e se pretende o Ministério da Saúde dotar este Hospital com um reforço de camas que evite, no futuro, os constrangimentos agora identificados.

Partilhe esta notícia