CDU VOLTA A SER A FORÇA MAIORITÁRIA NO CONCELHO DA MOITA NAS ELEIÇÕES DO PARLAMENTO EUROPEU

O Executivo da Comissão Concelhia da Moita do PCP, em reunião no passado dia 30, analisou os resultados das eleições do P. Europeu de 25 de Maio, destacando o êxito da CDU a nível nacional com a obtenção de mais votos, mais percentagem e mais deputados, também o resultado no Distrito de Setúbal onde a CDU foi a força mais votada.

No Concelho da Moita a CDU, voltou a merecer o apoio do povo do Concelho, registando-se uma subida de votos (mais 245 votos) e de percentagem, passando de 35,31% para 39,51%, tendo alcançado a maioria em todas as Freguesias do Concelho.

O Executivo da Comissão Concelhia da Moita saúda os candidatos, os militantes e activistas do PCP, do PEV, da ID, da JCP, da juventude CDU e os independentes que, com a sua enorme dedicação e empenho, desenvolveram uma grande campanha de informação e de esclarecimento junto dos trabalhadores e das populações em geral.

A Coligação do PSD e CDS sofreu uma pesada derrota no Concelho com a perda de mais de 50% da votação alcançada em 2009 por estes dois Partidos. O resultado de 3.496 votos para 1.737 votos representa uma queda de 50,31%, o que é bastante elucidativo da condenação do eleitorado perante a política do governo que estes partidos sustentam, de empobrecimento, exploração e desastre nacional.

O PS, não conseguiu ser a alternativa eleitoral que afirmou ser na campanha eleitoral, cantou vitória na noite das eleições sem motivo para isso, como demonstra a luta fratricida pela liderança. No Concelho da Moita a percentagem que alcançou de 25,95%, (13,5% abaixo da CDU), revela também que a campanha que conduz no Concelho contra o PCP e a CDU as suas propostas e em particular contra a gestão autárquica não lhe traz dividendos desejados.

O BE sofre no Concelho enorme erosão dos votos alcançados nas eleições de 2009, correspondendo a uma quebra de 16,8% para 6,81% dos votos.

A campanha eleitoral que a CDU desenvolveu, com sessões, tribunas públicas arruadas, distribuição de milhares de documentos, contactos de esclarecimento com os eleitores, uma campanha verdadeiramente no terreno, uma batalha apenas travada pela CDU de apelo ao voto e contra a abstenção. As outras forças políticas, sem excepção, primaram pela ausência de uma campanha eleitoral junto do eleitorado, sendo que agora fazem análises, críticas e especulações sobre o significado da abstenção, esquecendo as suas responsabilidades.

O Executivo da Comissão Concelhia congratula-se com a decisão do Partido de apresentar uma Moção de Censura ao governo, iniciativa que traduz o sentimento popular de rejeição da sua política e da exigência de lhe pôr fim. O debate da Moção de Censura na Assembleia da República constitui uma forte denúncia da política de direita do governo do PSD/CDS e da posição conivente do PS.

Os resultados eleitorais do passado domingo, a grande derrota do PSD e do CDS e o resultado anémico do PS, criaram melhores condições para o desenvolvimento da luta em defesa dos interesses e direitos dos trabalhadores e da população em geral. Os resultados revelam ainda que o eleitorado rejeitou o “Pacto de Agressão” e as imposições das Troikas.

A luta vai intensificar-se pela demissão do governo, pela convocação de eleições legislativas antecipadas e por uma alternativa patriótica e de esquerda, na afirmação dos valores de Abril no futuro de Portugal.

O executivo da C. Concelhia faz um apelo a uma ampla mobilização nas acções de luta do próximo dia 6 de Junho contra a privatização da EGF em Lisboa e na concentração agendada pelas Comissões de Utentes da Saúde, no mesmo dia, pelas 9,30 horas, contra a perda de valências no hospital do Barreiro e em defesa do SNS.

 

 

30 de Maio de 2014

 

O Executivo da Comissão Concelhia da Moita do PCP

Partilhe esta notícia