Cientistas da Universidade de Louisville nos Estados Unidos da América, estão a realizar experiências e testes, na criação de um coração humano vivo com a tecnologia de impressão 3D.

A impressora 3D usa colagénio e gordura criados a partir de células de tecido vivo dos pacientes. Neste momento já foi conseguido imprimir válvulas e pequenas veias do coração, vasos sanguíneos foram inclusive testados com sucesso em animais. No entanto os cientistas estão neste momento mais focados em criar partes do músculo do coração.
A Universidade de Louisville é a única no mundo com esta tecnologia de 3D bioprinting, sendo que o objetivo a curto prazo desta investigação seja que estas partes do coração impressas artificialmente, sejam usadas, para que em caso de doenças ou falhas, partes do coração real possam ser substituídas pelas impressas, tornando-se mais resistente.
Os cientistas acreditam que num futuro não muito distante, será possível desenvolver um coração humano totalmente funcional, que bata e bombeie sangue, perlongando a vida dos pacientes. Em caso de êxito, semelhantes corações resolveram completamente o problema das filas de espera pelas doações de corações.

 

Partilhe esta notícia