Os candidatos da Coligação Portugal à Frente comparam o PS à cigarra da fábula de Jean de La Fontaine, que muito fala e muito ri, mas que não trabalha em prol do país e dos portugueses.

À margem de uma iniciativa da JSD e da JP do distrito de Setúbal, Nuno Magalhães aproveitou a fábula usada por António Costa, quando este último apelidou os líderes da Coligação Portugal à Frente de serem os lobos, para introduzir no discurso uma outra fábula, “essa sim, que espelha bem a realidade do que têm sido os últimos quatro anos de oposição do Partido Socialista”.

“Podemos comparar a atuação do PS à cigarra da fábula de Jean de La Fontaine, que muito fala, muito ri e muito canta, mas o trabalho para fazer crescer o país, as exportações e o emprego, foi feito pelo atual governo e que agora nesta primavera de crescimento está a colher os frutos da sua responsabilidade perante os portugueses, ao contrário de António Costa que tal como a cigarra acaba sem nada”, diz o candidato.

Nuno Magalhães realçou ainda o trabalho que tem vindo a ser feito em campanha nas últimas semanas, relembrando o apoio que a Coligação tem recebido nas ruas dos vários concelhos do distrito por onde tem passado.

 

Partilhe esta notícia