Milhares de pessoas participaram, no Barreiro, nas comemorações do 43º aniversário do 25 de Abril de 1974. O Desfile da Liberdade e o Concerto com Pedro Abrunhosa e Comité Caviar, na noite de 24 de Abril e os Hasteares de Bandeiras nas Freguesias e nos Paços do Concelho foram os pontos altos das comemorações que se prolongam até ao final do mês (consulte programa em https://issuu.com/design_cmb/docs/programa_25abr17_-_completo_capas_e).

O Presidente da Câmara Municipal do Barreiro, Carlos Humberto de Carvalho, referiu, na sua intervenção, no Parque da Cidade, na noite de 24 de abril, que “passaram 43 anos da madrugada do 25 de Abril de 1974. A data que hoje comemoramos é uma das mais marcantes da história de Portugal, da história da nossa Pátria. O 25 de Abril é Liberdade, é Democracia, é Descolonização, é Desenvolvimento, é Direitos, é mais Equidade, é Constituição da República Portuguesa, é Poder Local, é mais qualidade de vida”. O Autarca realçou que “o Barreiro é Abril de 74 porque aqui, e durante 48 anos de ditadura fascista, nunca desistimos de intervir, combater, lutar, propor, construir. Aqui, na nossa terra construímos resistência, luta pelo associativismo, democrático e plural, luta pela cultura, pelo desporto, por lazer, por direitos dos trabalhadores, das populações, por equidade. Aqui no Barreiro, lutámos por Democracia, por Liberdade, por Descolonização, por Solidariedade. No Barreiro não abdicamos! Por isso nos custou tão caro a construção do 25 de Abril. Tivemos repressão. Fomos uma terra ocupada. Fomos uma terra torturada.

Tivemos perseguições, despedimentos, prisões, torturas, assassinatos.

Dissemos não!

Dissemos não à ditadura! Não ao fascismo!

Dissemos sim aos direitos! Sim aos avanços civilizacionais! Sim à Liberdade e Democracia!

Por isso reafirmo como são importantes as memórias, a história, mas também, as estórias. Temos que as preservar, valorizar. Trazê-las para o presente, para o futuro, explicá-las às nossas gentes, ao nosso povo”.

Carlos Humberto de Carvalho referiu que “a civilização ao longo dos séculos tem vindo a evoluir, a criar melhores condições de vida para os seres humanos. É a continuação dessa evolução que temos que fazer acontecer. ‘Quem sabe faz a hora, não espera acontecer’. Esse é o nosso caminho, essa é a nossa obrigação. É isso que nos comprometemos a fazer.

Não podemos aceitar que em Portugal não sejam os portugueses a mandar. Por isso, reafirmamos que Portugal tem que conseguir ultrapassar e recusar os constrangimentos externos a que nos querem obrigar. Portugal e os portugueses, para cumprirem Abril, para serem livres, tem que ter a capacidade de decidir do seu próprio destino.

Havemos de conseguir, porque ‘Quando um homem sonha o mundo pula e avança como bola colorida entre as mãos de uma criança’.

Viva o Barreiro!

Viva o Povo do Barreiro!

Viva Portugal!

Viva o 25 de Abril!”.

 

 

Hastear de Bandeiras nos Paços do Concelho

 

Na manhã de dia 25 de Abril, teve lugar o Hastear de Bandeiras nos Paços do Concelho com participação da Orquestra MINI-TAB (Orquestra Infantil do Coral TAB), da Banda Municipal do Barreiro e das fanfarras da Corporação de Bombeiros Voluntários do Sul e Sueste e da Corporação de Bombeiros Voluntários do Barreiro – Corpo de Salvação Pública.

Na sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal do Barreiro lembrou os “momentos de avanço e de conquista” com o 25 de Abril e salientou que hoje “vivemos um período de angústia na Europa e no Mundo”. “É preciso lembrar, neste momento, o que foram as guerras mundiais. É preciso dizer sim à paz. É com a intervenção dos cidadãos que construímos a paz e fazemos avançar o Mundo”.

“Abril foi transformar a utopia em sonho, em propostas, em concretização”, referiu Carlos Humberto de Carvalho, salientando que “somos livres e não voltaremos atrás. O Mundo avança e recua, mas não voltaremos atrás”.

Durante a manhã, decorreram os Hasteares de Bandeiras nas oito freguesias do Concelho do Barreiro.

Partilhe esta notícia