A inauguração da renovada rotunda da Praça Vitória Futebol Clube, com uma estátua de homenagem ao antigo jogador Jacinto João, foi um dos vários momentos marcantes das comemorações do Dia de Bocage e da Cidade, festejado, ontem, em Setúbal.

O feriado municipal assinalou também o início oficial das Comemorações dos 250 Anos do Nascimento de Bocage, programa dinamizado pela Câmara Municipal de Setúbal, com a parceria e o apoio de várias instituições e que ao longo de um ano, até 15 de setembro de 2016, divulga o poeta setubalense, não apenas no concelho, mas também noutros pontos País e no estrangeiro.

A requalificada rotunda Praça Vitória Futebol Clube, ornamentada agora com a estátua de bronze do futebolista que ficou conhecido como JJ, pertence a um conjunto de quatro rotundas inauguradas oficialmente ontem e que representam uma transformação significante na circulação e mobilidade urbana de Setúbal.

As rotundas integram um novo esquema de circulação que incidiu em vias chave na distribuição do tráfego rodoviário de entrada e saída na cidade, nomeadamente as avenidas da Europa, dos Ciprestes, Alexandre Herculano e República da Guiné-Bissau.

Especificamente sobre a Avenida da Europa, que, entre outras novidades, recebeu duas rotundas novas, Maria das Dores Meira sublinhou que “o que era quase uma autoestrada dentro da cidade, que a dividia ao meio e apenas servia para a atravessar de uma ponta à outra, criando sérias dificuldades às deslocações internas, passou a ser uma via urbana com passadeiras e novos acessos aos bairros por onde passa, com possibilidade de inversão de marcha e criação de mais alternativas de acesso a várias zonas da cidade, descongestionando, assim, várias vias”.

A autarca destacou ainda que a Câmara Municipal está empenhada num conjunto de projetos para manter o ritmo de desenvolvimento do concelho e de aumento da qualidade de vida da população. “Temos já preparados projetos para candidatar a fundos do novo Quadro Comunitário de Apoio que atingem o valor global de 10 milhões e 90 mil euros.”

Entre várias intervenções programadas, Maria das Dores Meira indicou que se encontram o reforço intermodal do interface das Fontainhas, destinado a melhorar as deslocações pendulares entre a Área Metropolitana de Lisboa e o Alentejo, o reforço da rede de ciclovias do concelho e construção de trajetos intermunicipais e o prosseguimento do investimento no ensino, com candidaturas preparadas de mais de dois milhões de euros para projetos baseados na arte e requalificação de instalações de três dezenas de escolas.

O Convento de Jesus, com requalificação já iniciada pela Câmara Municipal, que assumiu “responsabilidades do Poder Central”, vai ser candidatado a fundos europeus para a prossecução da recuperação do monumento nacional. A candidatura tem o valor aproximado de 1 milhão e 500 mil euros, com comparticipação municipal de cerca de 50 por cento.

Na cerimónia de inauguração da rotunda da Praça do Vitória Futebol Clube, além de vários populares, marcaram presença a presidente da Câmara Municipal, o filho de JJ Pedro João, a viúva e netos do antigo futebolista, assim como o presidente da direção do clube sadino, Fernando Oliveira, jogadores do plantel atual da equipa principal de futebol e antigas glórias vitorianas que jogaram lado a lado do homenageado.

Pedro João salientou que a família de JJ vê “com muito orgulho” a estátua erigida em memória do pai e que, anteriormente, estava instalada defronte de umas das entradas do Estádio do Bonfim.

Para Maria das Dores Meira, o jogador Jacinto João “simboliza a capacidade de Setúbal de receber e integrar aqueles que, desde sempre, procuraram esta cidade”.

Também com orgulho, Fernando Oliveira destacou a importância de “um homem que foi um exemplo dentro e fora do campo”.

A cerimónia de inauguração da rotunda marcou o ritmo das comemorações do Dia de Bocage e da Cidade durante a tarde.

De manhã realizaram-se as cerimónias do hastear da bandeira e de deposição de flores na estátua de Bocage, assim como a sessão solene evocativa do feriado municipal de Setúbal, na qual foram entregues as Medalhas da Cidade e homenageados antigos trabalhadores da Autarquia.

Já a meio da tarde, o Salão Nobre dos Paços do Concelho recebeu a sessão solene de abertura das Comemorações dos 250 Anos do Nascimento de Bocage, em que foi apresentada a comissão de honra do programa, presidida pelo Presidente da República.

Maria das Dores Meira, acompanhada na mesa pelo secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Murade Murargy, e por Daniel Pires, investigador bocagiano e membro da comissão científica das comemorações, sublinhou que o programa comemorativo, com a duração de um ano, é “algo que a cidade deve ao seu poeta maior”.

A autarca salientou a “vontade de internacionalizar Elmano Sadino” e de trazer “Bocage para o século XXI, acentuar a sua modernidade, a sua capacidade transgressora na caracterização da sociedade e o seu inconformismo e mundanidade”.

Murade Murargy, natural de Moçambique, frisou que Bocage “marcou as nossas vidas [de estudante] e que representa um papel unificador dos povos e das culturas que integram os nove países da CPLP.

A obra do poeta, adiantou o secretário executivo, “representa um património inestimável para Setúbal, mas também para Portugal e para todos os países que partilham a língua portuguesa”.

Daniel Pires, que, pelo facto de ser um dos maiores peritos na biografia e bibliografia bocagiana, apresentou várias iniciativas realizadas nas comemorações de ontem, realçou a atualidade da obra de Bocage, reforçando a qualidade poética de Elmano Sadino, “que rivaliza com a de Camões”, e destacou as virtudes da personalidade de Bocage, que, empenhado nos valores do Iluminismo, “defendeu ideais da Revolução Francesa e direitos alienáveis da liberdade”.

O investigador considera que “é um ato de elementar justiça estas comemorações”, um programa que, indicou, além de dimensão local e nacional, com a associação, por exemplo, da Biblioteca Nacional de Portugal e do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, também inclui eventos no estrangeiro.

Daniel Pires, que também é presidente do Centro de Estudos Bocageanos, lançou ao final da tarde, na Casa da Cultura, a obra de que é autor “Bocage – A Imagem e o Verbo”.

Acompanhado do vereador da Cultura, Pedro Pina, o investigador salientou que se trata de um trabalho que “levou dez anos a fazer e que leva 600 e tal imagens que retratam a vida e a época de Bocage”.

A obra, que consiste, na essência, numa recolha iconográfica de temáticas relacionadas direta ou indiretamente com Manuel Maria Barbosa du Bocage, é uma edição com a qualidade da Imprensa Nacional – Casa da Moeda, em colaboração com a Câmara Municipal de Setúbal.

Pedro Pina, num registo de humor, denunciou Daniel Pires como “um ávido desportista, pois percorreu uma autêntica maratona ao contribuir na preparação do programa das comemorações dos 250 anos de Bocage e a ultimar uma publicação com a qualidade ímpar agora apresentada”.

As festividades do Dia de Bocage e da Cidade também assinalaram a vertente tradicional de Setúbal.

A Câmara Municipal inaugurou no Largo da Fonte Nova, em pleno Bairro de Troino, uma mercearia pedagógica, destinada a reavivar tradições antigas da cidade.

O projeto resulta de uma parceria entre a Autarquia e o proprietário de uma antiga e tradicional mercearia de bairro.

A Mercearia Confiança de Troino, em funcionamento num regime de cogestão entre a Câmara Municipal e o proprietário Eduardo Silva, foi recuperada e preparada para servir como ponto de informação e divulgação turística de Setúbal, além de comercialização de produtos característicos do concelho.

“Novos paradigmas de consumo se impuseram nas grandes cidades, deixando para trás a proximidade e atenção de que o comércio tradicional sempre foi capaz”, apontou Maria das Dores Meira.

Para contrariar o esquecimento de memórias sociais provocado pelas novas tendências comerciais, a autarca frisou ser “bom e importante mostrar aos mais novos como se fazia no tempo em que muitos cresceram para que compreendam como tudo muda e muito depressa”.

O espaço, aberto todos os dias da semana, inclui visitas guiadas não apenas à área da mercearia, mas também ao primeiro andar do edifício, antiga casa da família de Eduardo Silva, transformada numa área de exposição decorada com vários objetos que remetem para o período da fundação do negócio, 1926, e décadas seguintes.

As visitas, destinadas à comunidade escolar e ao público em geral, podem ser agendadas através dos serviços da Casa da Baía, localizada na Avenida Luísa Todi e contactável através do telefone 265 545 010.

“A presidente permitiu cumprir um sonho de preservar este local histórico do meu bairro”, sublinhou Eduardo Silva durante a inauguração.

Maria das Dores Meira acrescentou que uma das finalidades do projeto, que inclui serviço de cafetaria, é atrair mais pessoas aos bairros típicos de Setúbal, “como se de um roteiro turístico se tratasse”.

O programa comemorativo do dia de Bocage e da Cidade reservou, ainda, a inauguração da exposição “O Livro na Época do Iluminismo”, coordenada por Daniel Pires.

A mostra, que contou na inauguração com a presença da vereadora Carla Guerreiro, é constituída por vários painéis informativos e dezenas de exemplares bibliográficos do período iluminista, podendo ser visitada até 28 de novembro na Galeria Municipal do 11.

A LASA – Liga dos Amigos de Setúbal e Azeitão divulgou, numa cerimónia realizada no Salão Nobre dos Paços do Concelho, os vencedores do XVI Concurso Literário Manuel Maria Barbosa du Bocage.

A edição de 2015 distinguiu João Diogo Pereira Barreira na categoria “Revelação”, com a obra “Pentapétalo”.

O prémio “Poesia” foi entregue a João Carlos Costa da Cruz, que apresentou o trabalho “Na luz das janelas pestanejam as sombras”, e a distinção para “Ensaio” a António Alberto Sancho Trabulo, com “Bocage no Oriente”.

Devido à chuva, o concerto da Orquestra do Norte previsto para a Praça de Bocage, à noite, realizou-se no Fórum Municipal Luísa Todi.

Este foi o concerto inaugural das Comemorações dos 250 Anos do Nascimento de Bocage, num espetáculo dirigido pelo maestro José Ferreira Lobo e que teve a participação dos solistas convidados Cristiana Oliveira, Liliana de Sousa e Rui Silva.

Partilhe esta notícia