As associações de pais das escolas da Quinta do Conde, a Câmara Municipal de Sesimbra e a Junta de Freguesia da Quinta do Conde promovem, no dia 26 de janeiro, quinta-feira, às 10 horas, um cordão humano que ligará as sedes dos três agrupamentos de escolas da freguesia, como forma de reivindicar a construção de uma Escola Secundária na freguesia. O cordão vai começar a formar-se na Escola Básica Integrada da Boa Água, passa pela Escola Básica Integrada da Quinta do Conde e termina na Escola Básica 2,3+S Michel Giacometti, onde às 11.30 horas, terá lugar uma concentração com intervenções de autarcas e representantes da comunidade educativa.

 

 

A construção de uma escola secundária na Quinta do Conde é há muito reivindicada pela Câmara Municipal, Junta de Freguesia e comunidade escolar, uma vez que a única escola com ensino secundário da freguesia, a EB 2,3/S Michel Giacometti, encontra-se sobrelotada, o que obriga muitos alunos a terem de estudar noutros concelhos, e com sinais de degradação evidentes.

 

A Câmara Municipal disponibilizou inclusivamente um terreno para o equipamento, e a construção esteve prevista para 2011. Contudo, o processo foi interrompido pelo Ministro da Educação.

 

No início de 2016, o tema esteve em debate no Parlamento, que resultou na aprovação de propostas de resolução do PCP, PEV, PS e BE, que sublinharam a necessidade urgente da construção do equipamento.

 

Numa reunião recente com a secretária de Estado da Educação, a vice-presidente da Câmara Municipal, Felícia Costa, apresentou um conjunto de dados relativos à rede escolar, que demonstram o número elevado de alunos que neste momento tem de recorrer a escolas fora do concelho, e destacou as previsões demográficas que indicam a continuação do crescimento populacional da freguesia o que, a breve prazo, tornará esta situação insustentável.

 

Lembrou também o estado de degradação da escola Michael Giacometti, a única que tem ensino secundário na Quinta do Conde. Apesar disso, não foi assumido qualquer compromisso por parte do Governo e o assunto vai manter-se em aberto.

 

Em resposta a esta posição, que contraria as propostas de resolução aprovadas e o próprio contexto social da freguesia, a Câmara Municipal de Sesimbra deixou a garantia de que não vai desistir da luta por esta escola, tanto a nível institucional, como através da participação ativa em todas as iniciativas organizadas pela Junta de Freguesia, associações de pais e comunidade educativa, como é o caso deste cordão humano.

 

Note-se que apesar da construção e gestão de escolas secundárias não ser uma responsabilidade da autarquia (que tem a seu cargo o pré-escolar e primeiro ciclo), a ausência de uma resposta de qualidade ao nível deste grau de ensino é uma preocupação para a Câmara Municipal de Sesimbra, que nos últimos anos tem feito uma forte aposta no ensino e atingiu um patamar de mérito a nível nacional.

 

Partilhe esta notícia