Decorreu esta tarde, por videoconferência, uma reunião de balanço sobre o resultado dos testes de diagnóstico e de rastreio à Covid-19, efetuados, durante duas semanas, aos profissionais dos estabelecimentos residenciais de apoio social para idosos, serviços de apoio domiciliário de toda a região metropolitana de Lisboa.

Até ao momento foram testados, no total, um número superior a 7500 profissionais. Deste modo, e apesar dos concelhos apresentarem diferentes níveis de execução, a quase totalidade dos lares legalizados já se encontra testada.

Até dia 16 de maio, por sua vez, serão testados cerca de 7000 trabalhadores das creches. Os resultados desses testes serão comunicados às entidades escolares até ao dia seguinte.

Uma nova fase está a ser preparada, e contemplará os lares não licenciados.

Até tudo estar concluído “cada uma das sub-regiões (península de Setúbal e grande Lisboa) fará a sua planificação, de acordo com os

meios disponíveis, mas de uma forma tão célere quanto possível”, afirmou Carlos Humberto de Carvalho, primeiro-secretário metropolitano, em jeito de conclusão, numa reunião onde estiveram presentes representantes da secretaria de estado dos assuntos parlamentares, entidades de saúde, segurança social, proteção civil e autarquias.

Na reunião foi ainda valorizado o trabalho efetuado até ao momento e o nível de cooperação entre as diferentes instituições da segurança social, proteção civil e saúde envolvidas.

Este conjunto de respostas sociais, recorde-se, faz parte da estratégia nacional de mitigação dos efeitos da pandemia da COVID-19 na população.

Mais informações em www.aml.pt