Finalmente chegou o Natal. A época do ano mais aguardada em todo o mundo. Nesta altura, os corações enchem-se de amor, carinho, paz e expectativa. A expectativa que quase provoca ataques cardíacos, às criancinhas, enquanto não dão as 12 badaladas… O sinal divino para poderem abrir os presentes de Natal. Mas não só as crianças que gostam de receber presentes, pois não?! Todos nós gostamos. E foi por isso mesmo quisemos saber quais as prendas, que os reclusos mais famosos de Portugal, pediram ao Pai Natal. Ora vejamos…

 

Top pedidos ao Pai Natal

 

1º Lugar: o pedido ao Pai Natal, de João Vale e Azevedo.

 

João Vale e Azevedo, como todo o mundo o sabe, é um dos maiores vigaristas que este país já produziu. A sua capacidade para intrujar, tudo e todos, é imbatível. Imagine o leitor que até o Pai Natal caiu numa das suas artimanhas… E se não acredita em nós então leia, com os seus próprios olhos, as palavras do velhote: «Ho! Ho! Ho! Feliz Natal! Quem? O menino Vale e Azevedo? Ah! Esse pelintra! Por causa dele quase que as crianças, de todo o mundo, iam ficando sem Natal… Durante a minha visita à sua cela, ele propôs-me um negócio: ajudava-me a embrulhar algumas das prendas, como forma de limpar a sua consciência, e em troca eu dava uma palavrinha a favor dele ao vosso Presidente. E eu, feito parvo, aceitei. O problema foi depois, quando voltei à cela para recolher as prendas já embrulhadas, soube que ele tinha aberto uma Loja do Chinês na prisão. E só para verem bem a lata do menino, quando o confrontei por estar a vender os meus brinquedos, ele disse-me para não me preocupar que já tinha vendido uma boa parte e colocado o dinheiro a render no BES. Agora era só esperar pelos juros, que depois poderia comprar prendas muito melhores… O único problema é que ele pediu-me o Rodolfo emprestado e ainda não voltou. Será que está assim tanto trânsito lá nos céus?! Ho! Ho! Ho! Feliz Natal!»

(Trânsito nos céus, Pai Natal? Mas tu não vês notícias? Não ouviste falar em greve da TAP?! Ah! Que cabeça a minha… Claro que não vês, se visses sabias que o BES já fechou à muito… Otário!)

 

2º Lugar: o pedido ao Pai Natal, de Carlos Cruz.

 

Carlos Cruz, figura incontornável da televisão e rádio portuguesa, está preso há já alguns anos na Prisão da Carregueira. Mas, apesar da sua clausura, o seu pedido ao Pai Natal foi muito simples…

«Ho! Ho! Ho! Feliz Natal! Ho! Ho! Ho! Quem?! O Carlos Cruz? Oh! Coitadinho… O que lhe está a acontecer dentro daquela prisão horrível é simplesmente horrível… Vejam lá os maus tratos que ele sofre, naquela prisão, que a única coisa que me pediu foi que lhe servissem uma canjinha neste Natal. Mas com miúdos… Parece que lá na cantina só servem canja com massas de letras. E nem sequer são as leras todas. Segundo ele as únicas letras que ele apanha são: P, E, D, O, F, I, e L… Coitadinho. Ho! Ho! Ho! Feliz Natal!»

(Hum?! Será que isso é algum sinal? Ora deixa cá juntar as letras: P, E, D, O, F, I, L… Pedofil? O que será Pedofil?! Ná… Deve ser só impressão nossa.)

 

3º Lugar: o pedido ao Pai Natal, de José Sócrates.

 

José Sócrates será, muito provavelmente, o nome mais badalado deste mês, em Portugal. A detenção do ex Primeiro-Ministro, na Prisão de Évora, tem alimentado as capas dos jornais quase todos os dias. (Provocando já uma certa náusea nas pessoas, diga-se de passagem). O pedido de José Sócrates ao Pai Natal foi deveras fácil de realizar. Ora vejam só:

«Hic! Hic! Hic! Feliz Natal! Hic! Porra, eu sabia que não devia ter bebido tanto antes de vir para aqui. Ora bem, o menino “Socas” também me fez um pedido de Natal. Pediu-me para que o juiz Carlos Alexandre, na Ceia de Natal, depois de beber uma garrafa de vinho do Porto, apanhasse a sua mulher na cama com o cunhado e os matasse aos dois com uma pancada na cabeça. De preferência com a garrafa que ele tinha acabado de beber. Assim a polícia ia perceber logo que tinha sido ele e acabaria por vir parar à Prisão de Évora acusado de homicídio qualificado… Prometeu-me até que faria tudo o que estivesse ao seu alcance para que fosse a melhor temporada da vida dele. Seriam companheiros de cela, apresentava-o ao seu melhor amigo na prisão, o Camolas. Segundo consta o Camolas é um tipo “porreiro, pá”, que adora fazer jogos de «apanhar o sabonete» no duche…

Ho! Hic! Hic! Feliz, Hic! Natal! »

(Ó Pai Natal, tu não achas que andas a meter-te com gente muito estranha?! Tem lá mas é cuidado não vá caíres na chaminé, da Prisão de Évora, e teres lá o “amigo” Camolas, em baixo, à tua espera, com uma prenda só para ti… Quem te avisa, teu amigo é…)

 

O Estapafúrdios do Quotidiano

deseja a todos os leitores do Distritonline, um FELIZ NATAL!

 

 

Texto escrito por: Gil Oliveira & Ricardo Espada

Visite-nos em:

http://estapafurdiosdoquotidiano.blogs.sapo.pt/

Partilhe esta notícia