“Ano novo, vida nova!” Esta é uma máxima que devia ter um sentido positivo. Mas, lamentavelmente, parece que funciona de forma inversa. Entrámos em 2015 com a ilusão de que este ano iria ser bem melhor do que o anterior. E a primeira coisa que acontece é logo um verdadeiro caos nas urgências dos hospitais… Esta semana não teremos um Top 3, mas sim uma entrevista a um Médico, uma Enfermeira e um Doente, para tentarmos sabermos a opinião deles sobre o caos que tem assombrado as urgências por este país fora…

 

Entrevista ao Shô Doutor:

 

Após invadirmos as urgências do Hospital Nossa Sra. Do Rosário, no Barreiro (aproveitando o facto de estar a acontecer uma rixa entre um indivíduo de etnia cigana e o segurança do hospital), conseguimos chegar à fala com o Doutor Bonifácio, que deambulava pelos corredores do hospital: “Jovens, por amor de Deus, já estou farto de vos dizer que têm de esperar que chame o vosso nome para serem atendidos… Ah! O quê? Não são doentes? Querem saber o quê? Sobre este caos? Pois muito bem… Fiquem sabendo, desde já, que culpa disto é dos doentes‼ Imaginem lá vocês que eles vêm para aqui… Doentes!! E pior. Vêm chatear quem trabalha. Eu tenho lá culpa do estado de saúde deles?! Já para não falar daqueles que, fartos de estarem à espera, decidem falecer. Vocês já viram isto?! Por aqui se denota o total desrespeito pelo nosso trabalho. E o cheiro que fica depois de falecerem? Uiii… Terrível! Olhem, isto vai ser publicado em algum lado? Vai, não vai?! Então aproveito já para dizer que, se vêm para aqui falecer, ao menos tomem um banho antes de sair de casa, ponham perfume e desodorizante! E se for para falecer, que o façam fora das macas, pois há que saber dar o lugar a quem realmente precisa do material! Olhem, sabem que mais? Eu odeio gente doente! Odeio, odeio, odeio! E mais, tenho aversão por doentes! Bhark! Metem-me nojo! Só de falar nisso já me está a dar vómitos…”

(Vómitos? Vómitos? Ó Shô Doutor, se calhar está doente, não?! Ah! Quer dizer… Que cabeça a minha, claro que não, até porque você odeia gente doente, não é verdade?! Bahhh! Que belo palerma você nos saiu!)

 

 

Entrevista a uma Enfermeira:

 

Mal acabámos de entrevistar o Doutor Bonifácio encontrámos a Enfermeira Rosalina, bastante indignada. Demos com ela aos berros, no meio do corredor, dizendo: “Ai, tadinhos dos doentes. Ai, coitados deles que vêm para aqui, TODOS cheios de dores e ficam horas e horas à espera de serem atendidos. Ai, coitados. Ai, tadinhos deles, que vêm para o hospital para se tratarem e acabam por ir parar à morgue, Só porque faleceram de tanto de esperar. Ai, desgraçadinhos dos doentes… É TUDO UMA CAMBADA DE MARICAS, É O QUE É! OLHEM, AMIGUINHOS, SE NÃO QUEREM VIR PARA O HOSPITAL, ESPERAR HORAS e horas a fio, ENTÃO não venham. FIQUEM EM CASA. Aproveitem e vejam a CASA DOS SEGREDOS, a ver se não se arrependem logo de não ter falecido! é da maneira que me dão menos TRABALHO! sEUS PORCOS! MALCHEIROSOS! aI, TADINHOS DELES! tADINHA MAS É DE MIM, QUE TENHO DE ESTAR AQUI 24 HORAS SEGUIDAS A TRABALHAR. E NEM ME QUEIXO! CAMBADA DE MARICAS, É O QUE É! PFFF…”

(Ó Enfermeira Rosalina… Nós temos a solução ideal para os seus problemas. Chama-se Xanax. Ou será Atarax? Não! Acho que é Antrax? Olhe, não temos bem a certeza, mas termina em ‘ax’. O melhor mesmo é tomar os três, a ver se isso passa.)

 

 

Entrevista a um Doente:

 

Mal nos livrámos da histérica Enfermeira Rosalina, decidimos ir falar com um pobre doente, que estava deitado numa maca, no corredor das urgências…: “Ai, dói, dói, dói! Dói tanto! Isto não há direito! Não se faz isto a uma pessoa! Isto é desumano! Isto não se faz às pessoas! Eu não mereço isto! Ai, que dói tanto! Estas urgências estão um verdadeiro pandemónio! Um caos autêntico! Onde é que já se viu eu estar aqui há 18 horas, à espera de ser atendido, e nem um iPad ou uma PlayStation 4 disponibilizaram para me entreter. Ou então uma Xbox. Até podia ser uma Wii que eu já não me importava! Quem diz uma Wii, diz um Commodore Amiga. Ou mesmo um ZX Spectrum! Se me dessem um Game Boy já eu dava pulos de alegria! Ou a porra de um Tamagotchi! Ai, ai. Bom… Agora acho que vou andando, pois parece-me que vou falecer e aqui não dá para tweetar aos meus amigos. Imaginem lá vocês que nem a password do WIFI disponibilizam às pessoas. Sinceramente, que não disponibilizem soro ou medicamentos, tudo bem. Agora a password do WIFI?! Isso não se nega a ninguém… Este serviço cada vez está pior.

(Ponham os olhos neste doente, ó Sistema Nacional de Saúde! O homem nem se queixa do tempo que está à espera… Ele só queria mesmo era alguns gadgets para se entreter e a password do WIFI. Fuinhas, pá!)

 

 

 

Texto escrito por: Gil Oliveira & Ricardo Espada

Visite-nos em:

http://estapafurdiosdoquotidiano.blogs.sapo.pt/

 

Partilhe esta notícia