Depois de muitas ameaças e contra-ameaças, muitos avanços e recuos, muito chove e não molha, muito… (já chega!) A verdade é que a greve de dez dias, por parte dos pilotos da TAP, lá acabou por se realizar. Já lá vão cinco dias e o caos reina nos aeroportos portugueses. Todos os dias são vários os passageiros que vêem os seus vôos serem cancelados. Que desesperam por alternativas para chegar aos seus destinos. E que amaldiçoam a maldita hora em que decidiram viajar pela TAP.

Como tal, decidimos apresentar algumas alternativas a todos aqueles que têm vindo aos aeroportos bater com o nariz na porta. (Mas que produtos serão aqueles, que os funcionários da limpeza usam, para deixarem as portas tão, mas tão limpinhas, de modo a que as pessoas não as vejam, hum?…)

Falámos com três distintas pessoas, que nos apresentaram algumas alternativas para todos aqueles que têm visto os seus voos serem cancelados. Ora vejamos…

 

1º Opção: Paulo Portas

O vice-primeiro-ministro – Shôr Paulo Portas – foi a primeira pessoa a vir ao encontro do Estapafúrdios do Quotidiano, apresentando-nos uma opção que, segundo ele, era bastante válida e uma excelente alternativa:

«Ouça! Isto da TAP é terrível para o país! Ouça, esses pilotos que estão em greve estão a denegrir a imagem do nosso grandioso país! Ouça, Portugal não pode continuar assim, com uma greve desta envergadura. Ouça! Eles… o quê? Como? Ah! A opção que eu tenho? Ouça, é uma opção bastante melhor do que viajar nos aviões. Tão vamos lá a ver… São os submarinos! Ouça, é só atestar aqueles meninos que eles levam as pessoas num ápice! Ouça, e pelo caminho ainda dá para fazer um pequeno desvio até às Selvagens, que o nosso PR está a morrer de saudades das suas cagarras… O problema é que eles, lá na TAP, não quiseram saber desta minha solução… Dizem que o mar tem muitos perigos… Tal como o Adamastor, as sereias, o Monstro do Loch Ness, e tal… Enfim… Ouça, é uma estupidez. Como se nos aviões também não houvessem “Adamastores barbudos” prontos a atirá-los contra arranha-céus, e assim…» 

(Ouça, meu caro Vice-Primeiro-Ministro… Essa ideia até era super, hiper, mega porreira. Mas ouça, só ia funcionar de uma maneira: se você também fosse nos submarinos e o pudéssemos deixar nas Selvagens, a fazer companhia ao nosso PR e às suas cagarras. Hum… O que me diz?)

 

2ª Opção: Alberto João Jardim

O ex-presidente do arquipélago da Madeira foi outra das pessoas que vieram ao nosso encontro, apresentar uma alternativa válida aos vôos cancelados na TAP:

«Essa gentalha lá do continente só pensa nela! Eles é que são os bons. Eles é que são os maiores! Bardamerda para essa gentalha toda! Eles nunca querem aceitar as ideias dos madeirenses! Eu propus uma ideia genial, mas eles descartaram-na logo! Cambada de ignorantes! Quê? Que ideia era? Então, a minha ideia era colocar aquela malta toda que está nos aeroportos, lá do continente, dentro dos nossos Carros-de-cesto! Os nossos Carreiros são exímios condutores de Carros-de-cesto, e levavam essa malta toda até aos seus destinos num ápice. Mas não! As ideias dos madeirenses nunca prestam! As ideias da malta lá do continente é que são boas! Olhem, sabem que mais? Bardamerda para essa gentalha de meia-tigela toda! E bardamerda para vocês também, que são lá do continente!»

(Cá para nós, que ninguém nos ouve, essa ideia até era bem catita! Devia era ser difícil de se concretizar, ó shôr Alberto João Jardim… É que, hum, como dizer isto… Os cestos só andam se for a descer, e não andam por cima da água, e é muita gente para se levar… Bom, pensando bem nisso, afinal de contas a ideia até é bastante estúpida! Portanto olhe, bardamerda para si também!)

 

3ª Opção: Zé da Fonte

Zé da Fonte é um rapaz alfacinha que, assim que nos viu na baixa lisboeta, veio a correr ao nosso encontro para nos apresentar a sua opção:

«Eh pá, ainda bem que vos encontro! Eh pá, é que estou mesmo super feliz, porra! Eh pá, vocês não têm aí uma moedinha de 1€ que me emprestem? É só para uma sandes, pá… Vá lá… Eu prometo que não é para outras coisas… É mesmo para uma sandes… O quê? Só me dão 1€ se vos arranjar uma alternativa para levar os passageiros da TAP? Oh, isso é canja! Ai, canja… Será que vocês não me arranjam antes 2€? Assim comia uma sandes e uma canja… Vá lá! Mas vá, vamos lá à ideia… Basta falarem ali com a malta dos Tuk-Tuk que eles tratam disso! Assim como assim eles já estão habituados a enganar os “bifes”, ups, quero dizer, a transportar os “bifes”. Tenho a certeza que também conseguem enganar esses passageiros que ficaram em terra. Transportar, é transportar, não é enganar! E até vos digo mais, saíam todos a ganhar. Os turistas apanhavam fresquinho na tromba e os condutores iam conhecer outros países! Tinham era de ter cuidado com os mosquitos. Então e agora, já me podem dar os 2€?! Vá lá, eu prometo que é só para um café… O quê? Ah, sim, sim… para a canja e para a sandes… Isso, isso… Vá, agora passem para cá a guita antes que eu vos dê uma chinada!»

(Somos tão generosos que acabámos por dar todo o nosso dinheiro ao Zé da Fonte. E os relógios… E os telemóveis… E os ténis… Não que tivéssemos tido medo dele. Foi porque a ideia dele era mesmo muito boa, só isso, mais nada! Ah, Sacana…)

 

Texto escrito por: Gil Oliveira & Ricardo Espada

Visite-nos em:

http://estapafurdiosdoquotidiano.blogs.sapo.pt/

https://www.facebook.com/EstapafurdiosDoQuotidiano

Partilhe esta notícia