O mundo inteiro ficou impressionado com as aflitivas imagens do ataque de um tubarão branco, ao surfista Mick Fanning, durante o torneio de J-Bay Open na África do Sul. A organização do evento, que estava a ser transmitido em directo, nem teve tempo de retirar do ar a câmara que filmava o surfista. Aliás, conseguiram retirar do ar as imagens mas não sem antes todo o mundo conseguir ver o ataque do tubarão a Fanning. O surfista, ao aperceber-se de que estava a ser atacado por um tubarão, teve de lutar pela sua vida. Esperneou e distribuiu pancada que nem um louco até que, a certa altura, Mick Fanning foi puxado para debaixo de água. Quando regressou à superfície apresentava marcas de uma mordidela (ou três) e a corda que o ligava à prancha de surf estava cortada (ou deveríamos dizer: “trincada”?!).

Ninguém sabe o que realmente aconteceu debaixo de água, mas nós (Estapafúrdios do Quotidiano) sabemos tudo! E isto porquê?! Porque graças a um dos nossos fantásticos investigadores conseguimos chegar à fala com três dos intervenientes deste terrível episódio. Ora vejamos…

 

A Pequena Sereia:

Parece mentira mas é a mais pura das verdades. A sereia mais famosa do mundo, e estrela da Disney, esteve envolvida neste assustador ataque. Ao nosso investigador, ela confidenciou o seguinte:

«Olá meu querido… Olha, tu até que és bem jeitoso… Já alguma vez visitaste o fundo dos oceanos? Anda, dá-me a tua mão e vamos descobrir o fundo dos oceanos! Prometo que não irás ficar desiludido… Anda, anda, meu querido… O quê? Não sabes nadar? Oh, que pena… Não tenho mesmo sorte nenhuma. Há anos que ando em busca do meu amor de verdade e, sempre que o encontro alguém, existe algum obstáculo à nossa felicidade… Parece que vou ter mesmo de ceder ao Poseidon… Aquele tubarão taradão, que anda atrás de mim há anos, sempre a tentar-me com as suas declarações de amor com cheiro a peixe podre… Que chato, pá! Sabes qual foi a última demonstração de amor dele? Sabes? Então não é que o taradão achou que seria uma boa ideia raptar um surfista e oferecer-mo como prenda de noivado? Disse-me que era porque sabia que eu tinha um peitiche com homens musculados, lindos de morrer e que se sentem como peixes na água Ó, pelo amor da Sardinha! Mas, bem feita! O surfista deu-lhe uma monumental carga de porrada! Ah, Ah, Ah! A esta hora ainda deve de estar a tirar a esferovite da prancha do meio dos dentes. Ah, Ah, Ah! Bom, agora vou indo que combinei um cafezinho com um tubarão martelo que é cá uma moca”… Uiii! Beijinhos, meu querido…»

(A Pequena Sereia, um tubarão chamado Poseidon que é um taradão, e um tubarão martelo que é cá uma moca”… Bom, cá para nós este investigador deve andar a fumar coisas que fazem rir enquanto vê filmes da Disney)

 

Tubarão Poseidon:

Depois de recebermos o relatório com a conversa com a Pequena Sereia, o mesmo investigador enviou-nos um outro relatório, onde consta uma suposta conversa sua com o tubarão branco que atacou o surfista Mick Fanning. E reza assim a história:

«Olá, pá… Tu ouve uma coisa, se vens aqui maçar-me a guelra por causa do ataque ao surfista podes dar meia volta e regressar para onde vieste. Não estou para conversas hoje. Porquê?! Porque estou aborrecido e bastante chateado. Sim, sim… estou assim por causa da Pequena Sereia. Há anos que morro de amores por ela e ela não me liga nenhuma. Tenho feito de tudo para que ela se apaixone por mim, mas ela anda lá enamorada com o Chico, aquele pelintra do tubarão martelo, que passa a vida a exibir-se para ela. Tu vê lá que até já cometi uma loucura por causa dela. Eu, que não faço mal a ninguém, acabei de atacar um surfista, todo bonitão e musculado, para o poder oferecer a ela, como prova do meu amor. Mas nem isso fui capaz de fazer… Não presto mesmo para nada, pá… O quê? O surfista fez o quê? Foi dizer para a televisão que me deu pontapés e murros até que eu o largasse? Ah, Ah, Ah! Que mentira tão grande! Eu sou Poseidon, pá! O maior predador dos oceanos! Eu não fujo de surfistas de meia-tigela. Eu só o larguei porque ele tinha uns pés horríveis, pá! O bonitão do surfista afinal não é assim tão perfeito quanto isso, pá! Ele tem uns pés mesmo assustadores, cheios de joanetes, calos e até unhas encravadas! Um nojo! Blarrrg, até se me dá a volta ao estômago, só de pensar que estive quase, quase, a morder aqueles calcantes, pá… Ai, o que um temível tubarão branco faz por amor… Ai, ai…»

(Hum… Um temível tubarão branco com nojo de uns pés com joanetes e unhas encravadas? Hum… É oficial: este mundo está mesmo virado do avesso…)

 

Nemo:

Depois da Pequena Sereia e do Poseidon – o temível tubarão branco – ter falado com o nosso investigador só faltava mesmo ser chamado ao barulho o peixe-palhaço mais famoso mundo: o Nemo. Sim, malta, o nosso investigador garante a pés juntos que falou com o Nemo, e que ele lhe contou que foi ele quem salvou a vida de Mick Fanning:

«Olá, olá! Então, como é que vão essas espinhas? Eh, eh… Percebeste? Eu, como sou um peixe, em vez de dizer ossos disse espinhas! Ah, ah… Sou mesmo hilariante! Sou o melhor peixe-palhaço dos oceanos! Eish, olha para esse nariz… E eu é que sou o palhaço Ah, Ah! O quê? Não estás para brincadeiras? Olha, nem eu… Eu cá  gosto mais é de palhaçadas! Ah, ah! Percebeste? Peixe-palhaço… Palhaçadas… Ah, ah! Sou mesmo palhaço! Hã? Se eu conheço o Poseidon, o temível tubarão branco? Claro que sim! Mas acho que estás um pouco enganado, meu amigo nariz-de-palhaço… O Poseidon é tudo menos temível… Ele é um mariquinhas. Anda há anos a levar com os pés da Pequena Sereia. Tu vê lá que, há bem pouco tempo, o gajo até atacou um surfista só para lhe oferecer a ela. Ai, já sabiam?! Ele disse-vos o quê? Que teve nojo dos pés do surfista? Ah, ah, ah! Mentiroso d’uma figa! Fui eu que o afugentei, pá… Se não fosse eu aquele surfista estava era a surfar nuvens no Paraíso… Se não fosse eu a ameaçá-lo que ia contar a todo o Oceano que ele era um mariquinhas pé-de-plancton, que nem um surfista consegue abocanhar, a esta hora o surfista chamava-se Mick Fannicos. Ah! Ah! Ah! Perceberam?! Mick Fannicos! Epá, sou mesmo fantástico Bom, estou no ir que tenho um espectáculo de Stand Up Comedy daqui a 1 hora, e ainda tenho de memorizar as piadas… Perdão, as palhaçadas… Adeusinho ó, nariz-de-palhaço!»

(Hum… O Nemo… a gozar com o tubarão branco… Hum… Ok. Se calhar, o melhor mesmo é despedirmos este investigador… Ou então pedir-lhe o contacto do seu dealer que aquilo parece ser realmente material de qualidade… Livra!)

 

 Texto escrito por: Gil Oliveira & Ricardo Espada

Visite-nos em:

http://estapafurdiosdoquotidiano.blogs.sapo.pt/

https://www.facebook.com/EstapafurdiosDoQuotidiano

Partilhe esta notícia