A Deco – Associação Portuguesa de Defesa do Consumidor chumbou vinte seis talhos da Grande Lisboa, Grande Porto e Setúbal – tanto de rua, como inseridos em grandes superfícies e mercados municipais – que estiveram na mira do teste a carne de vaca picada vendida a granel. “A maioria dos comerciantes adiciona sulfitos, aditivos proibidos que mantêm o tom vivo da carne e são potencialmente perigosos para alérgicos a esta substância”, revela.

Os sulfitos podem causar “alergias, dores de cabeça, náuseas, problemas cutâneos, asma, e nalguns casos extremos podem causar um ataque anafilático”, explica Nuno Lima Dias, técnico alimentar da DECO.

Todas as amostras recolhidas chumbaram na higiene e conservação. “Não tivemos um único estabelecimento com apreciação satisfatória. Encontrámos um elevado número de bactérias, algumas indicadoras de contaminação fecal, a presença de microrganismos que podem causar infeções alimentares”, adianta Lima Dias.

A Deco encontrou também temperaturas de venda desadequadas. Em média, a carne estava conservada a nove graus centígrados, quando a lei prevê um máximo de dois graus. Por isso mesmo, o conselho da associação é claro: “não compre carne já picada. Faça-o em casa, de preferência, ou escolha a peça no talho para picar”.

Os peritos da Deco visitaram talhos nas zonas de Lisboa, Porto e Setúbal. Doze destes já tinham chumbado num estudo feito há dois anos.

As conclusões do trabalho já seguiram para a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

Partilhe esta notícia