Os deputados do PSD do distrito de Setúbal exigiram explicações ao ministro da saúde sobre o encerramento das unidades de saúde do Poceirão e Águas de Moura (Marateca), concelho de Palmela, durante algumas semanas.

“Não queremos acreditar, que num período em que a afluências aos serviços de saúde é elevada, especialmente pela população mais idosa, devido às temperaturas altas que se fazem sentir, foram encerradas as únicas unidades de saúde destas localidades”, diz Bruno Vitorino.

Estas unidades abrangem uma área muito extensa, com uma população isolada e envelhecida, e para as quais o transporte público só existe de manhã e ao fim do dia.

O deputado do PSD acrescenta que a estas dificuldades, junta-se a enorme carência de profissionais de saúde, onde dos 1760 utentes inscritos Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados do Poceirão, 820 não têm médico de família.

No entanto, apesar das dificuldades conhecidas, e de acordo com informação prestada pela União de Freguesias de Poceirão e Marateca, a unidade de saúde do Poceirão encerrou durante duas semanas, de 20 a 31 de Agosto, e a unidade de saúde de Águas de Moura (Marateca) encontrou-se encerrada até ao dia 07 de setembro.

“Esta é uma decisão incompreensível e que importa ser esclarecida”, afirma.

O vereador do PSD na Câmara Municipal de Palmela, Paulo Ribeiro, sublinha que o atual Governo tem penalizado gravemente as populações de Marateca e Poceirão, sobretudo ao nível da saúde.

“Para além de todos os constrangimentos já referidos, este encerramento é algo impensável e que prejudica gravemente as pessoas, tendo em conta que estas unidades são o único acesso da população mais idosa aos cuidados de saúde”, aponta.

Os deputados do PSD exigem do ministro da tutela respostas concretas sobre quais as razões que levaram a esta decisão, bem como saber quais os serviços de saúde que foram assegurados aos utentes, durante o período em que estas unidades de saúde estiveram encerradas.

Partilhe esta notícia