De acordo com a União de Sindicatos de Setúbal (USS), o desemprego no distrito de Setúbal em julho registou um valor de 16,7%, o que comparativamente ao mês anterior representa uma descida de 0,26 décimas.

Contudo, a análise estrutural dos 61.113 desempregados inscritos nos centros de emprego de Setúbal revela, segundo o USS, que em relação a junho, verificou-se “um aumento da percentagem do desemprego de mulheres, dos desempregados com idade superior a 55 anos, dos desempregados com habilitações académicas superiores, dos desempregados de longa duração e dos jovens”, o que evidencia que o problema do desemprego “não está resolvido”.

“O aumento das percentagens dos DLD, dos desempregados com mais de 55 anos e dos desempregados jovens (menos de 25 anos) mostra que estamos perante um problema estrutural que não se resolve com o aumento da emigração, com o aumento da formação profissional, com o aumento dos Contratos-Emprego-Inserção (CEI’s), nem com o aumento dos estágios”, acentua a Comissão Executiva da USS/CGTP-IN.

Partilhe esta notícia