Detalhes…. Entre o Sado e a Serra da Arrábida… Forte de Albarquel…
“Se um homem fala ou age com o pensamento puro, a felicidade o acompanha como uma sombra que jamais o deixa.” – Buda

Minúcias na barra norte do rio Sado, mesmo junto a Praia, o Forte seiscentista de Albarquel
Integrou no século XVII, a linha defensiva do litoral que se estendia de Albarquel a Sesimbra, complementando a defesa da importante povoação marítima de Setúbal.
No âmbito da completa remodelação da estratégia defensiva do reino implementada sob o reinado de D. João IV, compreendida na defesa da barra de Setúbal, esta fortificação marítima foi iniciada, como a do Forte de Santiago do Outão, em 1643.
Tinha como objectivo reforçar o poder de fogo do vizinho Forte de São Filipe de Setúbal.
Contribuíram para as obras desta barra, à época, os proprietários das marinhas de sal e os navegantes da Casa do Corpo Santo, tendo as obras deste forte, como as do Outão, sido concluídas sob o reinado de D. Pedro II.
O Governador do Forte de Albarquel, era por inerência o Guarda-Mor do Sal de Setúbal, cargo de “Jure e Herdade”, pertencente à família Botelho de Moraes Sarmento. O titulo de “Guarda Mor do Sal de Setúbal”, foi concedido pelo Rei Filipe III de Portugal e IV de Espanha, e rectificado por D. João IV,a Diogo Botelho de Moraes Sarmento, 1º Guarda Mor do Sal de Setúbal, tendo sido o ultimo Governador do Forte de Albarquel, nesta família, António Manoel Botelho de Moraes Sarmento, 6º Guarda-Mor do sal de Setúbal.
(38°30’39.04″N 8°54’49.38″W) Praia de Albarquel – Setúbal – Portugal

— em Praia de Albarquel Setubal.