O dia 22 de janeiro marcou, de forma simbólica, o início da “nova vida” na Escola Primária de Brescos, localizada no concelho de Santiago do Cacém, com o início da atividade, naquele equipamento, do projeto “Fazendo e Aprendendo”, destinado à população sénior local, após o encerramento do equipamento por parte do Ministério da Educação, no início deste ano letivo.

Com o mote “A escola é para todos”, os últimos tempos têm sido dedicados a arranjos no espaço. “Já pintámos, costurámos as cortinas, limpámos, arranjámos coisas e os trabalhos que temos aqui expostos vieram da Escola da Costa de Santo André, onde estivemos cerca de nove anos”, conta a professora Fernanda Malafaia, que tem vindo a coordenar as atividades do projeto ao longo dos anos e que se mostra “muito feliz, porque as pessoas que estavam connosco, na Escola da Costa de Santo André, estão a abraçar este projeto”. Como a maioria reside em Brescos, agora “é mais fácil porque não têm de se deslocar e não temos de transportar tanta gente”.

O “Fazendo e Aprendendo” vai ser alargado (apenas funcionava às quintas-feiras) e já estão agendadas algumas das novas atividades semanais: “à terça-feira, são as leituras. Pensamos também fazer jogos, dramatizações e, muito mais importante do que isso, esperamos que as pessoas nos contem coisas que queremos gravar, como património imaterial. À quarta-feira, estamos a pensar na pintura, realizando trabalhos simples em caixas de madeira e em vasos, porque estamos inseridos numa zona rural e temos de ter sempre isso em conta”.

O início da atividade foi assinalado com a realização de um lanche, que contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, que evidenciava “muita satisfação, porque nós já há muito tempo que temos vindo a acompanhar este projeto, que tem tido na pessoa da professora Fernanda Malafaia a sua grande dinamizadora”. O Presidente da CMSC destaca os alunos deste projeto, “pessoas que têm muita experiência de vida e que agora vivem da sua reforma e se mantêm ativas através deste projeto. Penso que este é o caminho. O facto de as pessoas já terem alguma idade não significa que estejam inativas”.

Álvaro Beijinha – que esteve acompanhado pelo Vereador Albano Pereira na iniciativa – considera que “os projetos desta natureza fazem com que estas pessoas continuem a ter um papel muito importante na sociedade e nestas pequenas comunidades. A Câmara faz aquilo que lhe compete, que é dar o apoio dentro das nossas possibilidades, neste caso com a cedência das instalações e também a outros níveis. Vamos acompanhando este projeto”.

Quem também marcou presença na ocasião foi o Presidente da Junta de Freguesia de Santo André, Jaime Cáceres, que destacou “o papel da população sénior na passagem do contributo das suas vidas a outras pessoas”, algo que considera ser “muito importante”, dirigindo-se depois à juventude dos nossos tempos: “era bom que os jovens pusessem os olhos nisto que estas pessoas fazem. Com a partilha consegue-se tudo”.

Jaime Cáceres enaltece “um projeto que envolve uma população de uma localidade em que a escola foi encerrada para as crianças, mas onde nasceu um novo projeto para os idosos, de pessoas que estudaram aqui nesta escola, de pessoas que vivem esta escola. Quando se fala com elas vê-se os olhos a brilhar”. O Presidente da JFSA mostra-se “muito satisfeito” e reforça a ideia de que “é na partilha do conhecimento que conseguimos ultrapassar as dificuldades que nós sabemos que o nosso país atravessa”.

Recorde-se que a Câmara Municipal de Santiago do Cacém e a Junta de Freguesia de Santo André promoveram uma reunião com a população da Freguesia, no dia 12 de novembro de 2014, onde em conjunto decidiram a finalidade da cedência da antiga escola do 1.º Ciclo de Brescos, que se encontrava desativada, de modo a dar uma dinâmica sustentável ao edifício. O espaço foi entregue ao Instituto das Comunidades Educativas (ICE) e ao projeto “Fazendo e Aprendendo”. O ICE desenvolve o projeto das escolas rurais e da “Quinta Pedagógica e do Ambiente” em parceria com as duas autarquias e com o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). Já o projeto “Fazendo e Aprendendo” nasceu de uma parceria entre a Junta de Freguesia e a população, destinando-se à dinamização dos seniores locais.

Partilhe esta notícia