Escrita dos Sentidos, por Emanuel Gois

TODOS TEMOS DOIS “EUS”

Todos temos dois “eus”
o “eu” que guardamos
e o que mostramos
há o “eu” que fingimos
e o “eu”que sentimos
neste conflito lutamos
nesta luta nos consumimos
nesta disputa entre os “eu”
nenhum surge ocasional
por vezes, dá jeito o moral
noutras, vale antes o racional
tudo depende da vantagem
no momento ou ocasião
de usar um dos “eu”
e o outro “eu” não

 

nesta irmandade dos “eu”
em rigor, não se dão bem
mas perante o desafio
na farsa que os alimenta
recua o que argumenta
avança o que mais convém

 

no fim de tudo isto
nesta mentira ancestral
onde todos habitamos
sabemos bem ao que estamos
e se pode ser banal
um dos “eu” se disfarçar
sempre se sabe que um deles
não é o “eu” real

 

e na separação dos “eu”
do ímpio, beato ou ateu
sempre nos fica a certeza
que no mundo da hipocrisia
na humana natureza
pouco importa a abulia
desde que se tenha os dois “eu”

 

Emanuel gois, do livro “Algures no Tempo”, edição 2015

Partilhe esta notícia