É inaugurado este sábado, dia 18 de março, às 11 horas, o Espaço Agrícola do Soutelo, em Amora, que disponibiliza aos munícipes áreas para o cultivo de produtos orientados pelos princípios da agricultura sustentável. Este espaço, criado no âmbito do projeto Rede de Hortas Urbanas do Município do Seixal, consiste numa área útil de cultivo de 4.050 m2, distribuída por 20 unidades de hortas sociais e 15 unidades de hortas recreativas. Importa referir que este é o segundo espaço agrícola do município do Seixal, que se vem juntar assim ao do Monte Sião, que conta com 16 hortas sociais, estando previstos ainda outros espaços agrícolas.
O Espaço Agrícola do Soutelo está localizado na Rua das Laranjeiras, em Amora, e tem disponíveis infraestruturas como rede de distribuição de água e um edifício para arrumo de ferramentas.
O projeto Rede de Hortas Urbanas do Município do Seixal
Este projeto tem como objetivo criar uma rede de espaços produtivos, integrados na estrutura verde municipal, e destina-se a promover a atividade agrícola em contexto urbano, que compreende o cultivo e colheita de produtos agrícolas de natureza sazonal, orientados pelos princípios da agricultura sustentável, onde se fomentam a agricultura biológica, a sustentabilidade ambiental (compostagem, utilização racional da água, armazenamento e utilização da água da chuva), o contacto com os ciclos naturais, operações culturais e métodos de produção, os estilos de vida saudáveis, as relações interpessoais e intergeracionais. Enquadra -se, ainda, nos princípios da solidariedade e subsidiariedade, contribuindo para melhorar a condição de vida das famílias nas vertentes da subsistência alimentar saudável e complemento ao rendimento familiar, bem como para reforçar a identidade cultural e territorial e a coesão social.

Objetivos
O projeto Rede de Hortas Urbanas do Município do Seixal visa prosseguir os seguintes objetivos:
a) Criar uma rede de espaços produtivos, integrados na estrutura verde municipal, cujas produções revertam a favor dos utentes, funcionando como um complemento ao rendimento familiar e uma alternativa às formas tradicionais de recreio em espaço urbano;
b) Reforçar o apoio às famílias mais desfavorecidas da comunidade, através da diversificação das fontes de subsistência;
c) Incentivar o uso de práticas agrícolas tradicionais e estimular a sensibilização ambiental;
d) Introduzir a utilização das técnicas agrícolas sustentáveis e tecnologias sociais;
e) Promover hábitos de alimentação saudável;
f) Valorizar as relações interpessoais e intergeracionais, através do estímulo à entreajuda, transmissão do conhecimento e espírito de boa vizinhança;
g) Fortificar o sentimento de pertença e promover a identidade cultural e coletiva da comunidade;
h) Promover a ocupação dos tempos livres de pessoas idosas e valorizar os seus saberes, no âmbito do envelhecimento ativo;
i) Educar para a sustentabilidade e solidariedade no seio da comunidade escolar;
j) Contribuir para a preservação do património fundiário e cultural.

Conceitos
Espaço Agrícola: conjunto de talhões (hortas) a cultivar com base nos princípios da agricultura biológica, onde se promovem estilos de vida saudáveis, e que poderão estar fisicamente delimitados e dotados de: instalação de apoio, em caso de necessidade; compostor; reservatório para aproveitamento das águas das chuvas e abastecimento de água para rega.

Hortas Recreativas: talhões orientados para o recreio e para o contacto com a natureza e que podem, igualmente, ter um fim terapêutico para o apoio nos processos de recuperação médica, combate ao stress, a doenças do foro emocional, mental ou para o desenvolvimento psicomotor de pessoas portadoras de deficiência;

Hortas Sociais: talhões orientados para a subsistência alimentar, em complemento ao rendimento familiar e/ou fonte de receita, destinados a comunidades em risco de exclusão social.

Partilhe esta notícia