Os CTT- Correios de Portugal estenderam a 24 o número de Espaços do Cidadão que, de Norte a Sul do País, em cidades com diferentes perfis demográficos, estão já a prestar serviços de onze entidades públicas, em fase piloto.

Amadora, Barreiro, Beja, Bragança, Cova da Piedade, Covilhã, Damaia, Estoril, Évora, Palmela, Portalegre, Portimão (Teixeira Gomes), Pragal, Tomar, Santiago do Cacém, Vila Real, e, no concelho de Lisboa, Alvalade, Calvário, Chiado, Cinco de Outubro, Restauradores, Santa Justa, Socorro e Praça do Município são as lojas dos CTT que já estenderam o portefólio de serviços aos cidadãos.

Entre esses serviços contam-se, a título de exemplo, os pedidos de renovação de carta de condução, a requisição de certidões, os pedidos de alteração de morada do cartão do cidadão, a marcação de renovação de autorização de residência para cidadãos estrangeiros, a submissão de candidaturas ao Porta 65 ou o envio de documentos para a ADSE.

Os serviços são prestados nas lojas dos CTT mediante a facilitação do acesso às plataformas do Estado das seguintes instituições: IMT, ACT, IGAC, Direcção-Geral do livro, dos Arquivos e das bibliotecas, Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, ADSE, Caixa Geral de Aposentações, Portal do Cidadão, Direcção-Geral do Consumidor e SEF.

Em cada uma das lojas referidas existe um balcão que também presta estes serviços e que está assinalado para o efeito. O sistema de senhas foi também actualizado com uma nova opção “Espaço do Cidadão”. Deste modo, continua a ser possível aceder aos serviços postais como anteriormente.

Os CTT acreditam que esta nova funcionalidade – ainda em teste – poderá facilitar o acesso dos cidadãos aos serviços do Estado, uma vez que nenhuma outra rede de serviços como a dos Correios é tão próxima, extensa e reticular, com uma grande densidade em todo o território.

Os mediadores dos CTT presentes nestas lojas têm vindo a receber formação especializada, em articulação com a AMA – Agência para a Modernização Administrativa, de modo a habilitá-los a melhor apoiar os cidadãos.

 

 

Fonte: CTT

Partilhe esta notícia